segunda-feira, 31 de março de 2008

CPT e Governo de Alagoas se reuniram ontem

A audiência discutiu ponto por ponto da pauta de reivindicações da pastoral da terra

Uma audiência da Comissão Pastoral da Terra de Alagoas (CPT-AL) com o Governo do Estado de Alagoas aconteceu nesta última segunda-feira, 31 de Março de 2008. A reunião foi iniciada às 10h sem a presença do Governador Teotônio Vilela Filho, que chegou por volta das 11h, saiu e retornou ao final.
Os pontos de pauta giraram em torno do mapeamento fundiário do Estado, apoio e investimento na produção, infra-estrutura, na educação nos assentamentos e acampamentos assessorados pela CPT-AL e a algumas atividades do movimento, como a Romaria da Terra e da Água. Sobre o mapeamento, segundo o presidente do Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (ITERAL), Geraldo Magela, um projeto de mapeamento em 15 municípios na zona norte vai ser apresentado para realização de um convênio com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).
A CPT-AL teve a oportunidade de cobrar do Governo a aprovação dos projetos protocolados em 2007 que quase um ano depois ainda estava sem resposta, o projeto de Bancos de Sementes e o de Apicultura para o Assentamento Delmiro Gouveia (Inhapí). No que diz respeito a ambos os projetos, foi marcada uma reunião para segunda-feira, dia 07 de abril, às 08h na Secretaria Estadual de Agricultura (SEAGRI), onde também vai ser negociada a liberação de recursos para a capacitação na produção agrícola para os acampados e assentados. Durante toda a audiência o Governo mostrou-se aberto ao diálogo, sendo todos os pontos da pauta debatidos e a maioria garantida, espera-se o principal: o cumprimento com a palavra.
Por fim, a CPT questionou o Teotônio Vilela Filho sobre seu posicionamento acerca da transposição do rio São Francisco, visto que quando ele era Senador se posicionava abertamente contra o projeto do Governo Federal e, desde sua posse como Governador de Alagoas, não se viu Vilela posicionar-se publicamente sobre o assunto. O então Governador respondeu afirmando que continua sendo contra a transposição. Mas Teotônio Vilela Filho disse que não faz parte de Movimento contra a Transposição, agora é Governador e acredita que não tem o “direito em entrar em confronto com o Governo Federal e deixar Alagoas a pão e água”.

Maiores informações:
Carlos Lima – 9127-5773
Henrique Santos – 9127-5044

segunda-feira, 17 de março de 2008

Feira Camponesa vai continuar em Porto da Rua

A Feira Camponesa aconteceu na última sexta-feira e vai continuar semanalmente no município

Na última sexta-feira, dia 14 de março, aconteceu na Praça Santo Antônio, em Porto da Rua, a primeira Feira Camponesa no interior do Estado. Lá, foram vendidos vários produtos, como banana, maracujá, batata, macaxeira, coco, feijão, farinha, mamão e massa puba. Foi a primeira de muitas outras e as próximas vão ter muito mais variedades.
As feiras livres são uma tradição que vêm sendo esquecida devido à dinâmica do sistema em que vivemos. Os alimentos consumidos pela população em geral são produzidos em grande quantidade, porém, cheios de pesticidas, agrotóxicos, adubos artificiais e, em alguns casos, modificados geneticamente – os transgênicos. Por outro lado, através da Feira Camponesa, o povo tem a possibilidade de consumir alimentos que, além de baratos, fazem bem à saúde, produtos orgânicos plantados e colhidos pelas mãos de
trabalhadores e trabalhadoras sem-terra. Sem-terra apresentando para a sociedade o fruto de sua luta, a luta pela Reforma Agrária.
A Feira vai continuar a ser realizada sempre no mesmo dia e local; com exceção do próximo dia 21, feriado da Sexta-feira da Paixão de Cristo, o evento vai ser antecipado para quinta-feira – quando a população vai poder comprar o peixe para a quaresma. A Feira Camponesa é uma realização da Comissão Pastoral da Terra (CPT).

quinta-feira, 13 de março de 2008

Jejum por justiça e pão

Pastoral da Terra faz jejum em solidariedade ao povo que passa fome por falta de terra em frente à Assembléia Legislativa

Nesta sexta-feira, dia 14 de Março de 2008, a partir das 8 horas da manhã até às 17:30h, agentes da Comissão Pastoral da Terra de Alagoas vão realizar um jejum em frente à Assembléia Legislativa de Alagoas (ALE), próxima à Catedral. O jejum será encerrado com uma celebração.
Inspirado na palavra do profeta Isaias (58.6-12), "quebrar as correntes e libertar os pobres", o jejum da CPT é em solidariedade as pessoas que passam fome no mundo, especialmente o povo sem-terra. Segundo Isaías, “o jejum traz para a cidade uma nova prática na justiça” e, é neste sentido que o 9° Jejum de Solidariedade aos Camponeses, dialogando com a realidade em que vivemos no Estado, faz um protesto contra a corrupção. O desvio dos 280 milhões de reais por boa parte dos deputados da ALE daria, por exemplo, para: implantar 28 mil hortas comunitárias e alimentar cerca de 80 mil famílias; comprar 40 mil hectares de terras na Zona da Mata, que assentaria mais de 5 mil famílias; ou construir 40 mil casas da Reforma Agrária. Enquanto muitos passam fome, os deputados vivem com luxo.
A CPT-AL tem a prática do jejum, orientada pela Igreja Católica. Neste tempo de quaresma, a Igreja convoca os(as) cristãos(ãs) a se prepararem espiritualmente para viver o tempo pascoal. A quaresma é um tempo de fazer a memória à Paixão de Cristo, que lutou pela justiça social, pela libertação do povo de Deus – povo sofrido pelo poder imperial da época. Por isso, a CPT afirma “Nosso jejum é por justiça”, para ressuscitar, assim como Cristo, a humanidade.

Maiores informações:
Irmã Elizabete Raimunda – 9127-0366
Irmã Cícera Menezes – 9127-0293

quarta-feira, 12 de março de 2008

Feira Camponesa vai ser realizada em Porto da Rua

Alimentos agrícolas orgânicos produzidos nos Assentamentos da região serão vendidos para a comunidade
A “Feira Camponesa” é um evento onde os alimentos produzidos pelos(as) camponeses(as) nos acampamentos e assentamentos acompanhados pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) são levados para serem vendidos na cidade. Este ano, além das duas feiras que geralmente acontecem na Praça da Faculdade, em Maceió, a Feira Camponesa está sendo expandida para outros locais da capital e outras cidades do Estado de Alagoas onde existem áreas de Reforma Agrária assessoradas pela CPT.
Nesta sexta-feira, dia 14 de Março de 2008, o município de Porto da Rua vai receber a primeira Feira Camponesa do ano, na Praça Santo Antônio. Esta é a primeira de muitas outras que vão ocorrer permanentemente todas as sextas-feiras na cidade. Lá, a população vai encontrar produtos agrícolas frescos, alimentos – como macaxeira, inhame, batata, mamão, banana, maracujá, massa puba, galinha caipira entre outros – vendidos a um preço justo. Os produtos vendidos na Feira são orgânicos, não possuem pesticidas e adubos artificiais. Trata-se de um modelo de produção agroecológico.
Repartindo a terra e multiplicando o pão, do campo para a cidade, as feiras livres resgatam a cultura popular camponesa e aproximam produtores(as) de consumidores(as). É o trabalho dos(as) sem-terra, que há cinco anos vai à mesa da população maceioense através das Feiras, sendo multiplicado para outras comunidades.
Maiores informações:
Cícero Adriano (engenheiro agrônomo da CPT) – 9323-0230
Irmã Cícera Menezes (coordenadora da CPT no litoral) – 9127-0293