sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Povo de Flor do Bosque celebra 10 anos de luta

Assentados comemoram aniversário da ocupação com muita alegria




"Já chega de tanto sofrer, já chega de tanto esperar.
A luta vai ser tão difícil, na lei ou na marra nós vamos ganhar"



O povo do assentamento Flor do Bosque - localizado no município de Messias, zona da mata de Alagoas – celebrou ontem (27/11) 10 anos de luta e resistência. A fazenda Flor do Bosque foi ocupada em 27 de novembro de 1998. A terra foi destinada aos sem-terra 8 anos depois.

Às 4h da manhã fogos anunciavam o aniversário da ocupação da área. A celebração iniciou com uma caminhada que fez o percurso desde o primeiro acampamento à terra conquistada. Nas paradas, os assentados e assentadas relembravam a história do Bosque.







"A primeira vez que chegamos acampamos dentro da fazenda. Recebemos despejo e fomos pra pista. Depois viemos para esse lugar e daqui saiu a decisão de ocupar definitivamente a Flor do Bosque. Isso aqui era tudo barraco. E isso que hoje é cana, era tudo roça, era bem bonito. Tivemos muitos momentos bons aqui". Disse a assentada e técnica agrícola da CPT, Maria do Bosque, mostrando onde foi o primeiro acampamento.

Chegando ao assentamento, houve uma celebração presidida pelo Pe. Alexander Cauchi que, segundo os trabalhadores, teve um papel fundamental na construção dessa história. Quando a celebração encerrou, foi partilhado o almoço. À tarde foi de muita alegria, com churrasco e música.







A confraternização aconteceu o dia inteiro, teve a presença de pessoas que apoiaram e fortaleceram a luta do Bosque como as irmãs Rita, Daniela, Teresa, Celine, Carmem Lúcia; Josival Oliveira, do Movimento de Libertação dos Sem-Terra (MLST); Major Antônio Casado, do Centro de Gerenciamento de Crise da PM; Lenilda Lima, do Sindicado dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (SINTEAL) e; a senhora Maria José Viana. O apoio intenacional também foi marcado pela presença de Maria, da Associação Amigos de Joaquim Gomes, da Itália e pela mensagem e fotos do Comitê de Erradicação da Pobreza, do Canadá.







Emocionado, o assentado Del desabafou: "Nós sofremos pelo objetivo que a gente queria. Não vamos destruir o que ganhamos com tanto sofrimento. Temos que valorizar nossa luta, porque nós tivemos coragem de lutar por isso que nós temos hoje. 10 anos de sofrimento e agora estamos dentro da terra que conquistamos".

Maiores informações:

Carlos Lima (Coordenador Estadual da CPT) – (82) 9127-5773 / Jaílson Tenório (Coordenação Estadual da CPT) – (82) 9127-2364

Nenhum comentário: