quarta-feira, 6 de maio de 2009

Assembleia reúne trabalhadores rurais

Foto: Alexsandra Timóteo


No período de 17 a 19 de fevereiro aconteceu a 20ª Assembleia Estadual da CPT-AL, no Centro Catequético dos Irmãos Maristas localizado na Barra de São Miguel. O encontro abordou os “25 anos de serviço as famílias camponesas” e contou com a participação de trabalhadores rurais do sertão, litoral, zona da mata e agreste alagoano, além de agentes pastorais e equipe técnica.

O primeiro dia foi iniciado com uma Missa de Ação de Graças para celebrar o aniversário e trabalhos desenvolvidos pela CPT/AL, presidida por Dom Antônio Muniz. Também foi entregue para Lenilda Lima, professora e líder sindical, o prêmio Dom Hélder Câmara criado em 2002, para homenagear personalidades que apóiam a luta em defesa da reforma agrária no Estado.

Os debates foram intensos, principalmente, ao abordar “os desafios e as perspectivas da luta camponesa em Alagoas, a partir de uma leitura dos movimentos sociais do campo”. Constatou-se que nesses 25 anos, apesar das investidas e conquistas contra o latifúndio, a estrutura fundiária continua ainda mais perversa: a expulsão das famílias do campo, a devastação das roças e do meio ambiente, a destruição das moradias e a concentração de terra e de renda. Além disso, o governo Lula não tem coragem para efetivar a reforma agrária e continua fortalecendo o agronegócio da cana de açúcar.


Dentre os pontos aprovados em assembléia, estão:

  • Lutar com firmeza, unindo os movimentos do campo e da cidade, para derrotar o modelo agro-exportador, a corrupção e a concentração da riqueza que gera violência, miséria e morte;
  • Continuar o processo de formação nas áreas;
  • Intensificar as feiras camponesas, incentivar o aumento e escoamento da produção;
  • Apoiar e contribuir com a luta dos movimentos sociais.

Nenhum comentário: