quinta-feira, 14 de maio de 2009

Bituqueiros da Colônia Leopoldina vão receber atrasados em duas parcelas

Os trabalhadores rurais além de reivindicar os salários atrasados fizeram outras graves denúncias que serão protocoladas pela CPT-AL


Foi realizada ontem pela manhã (13) uma audiência com representantes dos trabalhadores rurais da Destilaria Porto Alegre, localizada no município de Colônia Leopoldina, que foram até a sede do Ministério Público do Trabalho (MPT-AL) para denunciar o atraso do recebimento do salário.

Os bituqueiros, trabalhadores que recolhem a cana caída dos caminhões, foram ouvidos pela procuradora do Trabalho Lárah Rebelo e o auditor fiscal do trabalho, Allysson Jorge de Amorim. Eles informaram que deixaram o serviço no dia 14 de abril e, até agora, nenhuma das pessoas que atuam nas quatro frentes de trabalho da empresa receberam as verbas rescisórias.

A procuradora e o auditor fiscal mantiveram contato com a usina e a advogada Daniela Mafra, e foi confirmado que os trabalhadores vão receber os salários e as verbas rescisórias em atraso em duas parcelas, nos dias 15 e 22 deste mês. Para assegurar o compromisso, a advogada protocolará documento no MPT constando as informações prestadas à procuradora.

Na ocasião, também foram realizadas outras denúncias pelos trabalhadores rurais, como: execução do serviço durante à noite, onde eles têm que catar os pedaços menores de cana; descontos não-autorizados nos salários, como exemplo citaram a utilização da quadra de esportes, porém nunca tiveram acesso; e a ineficiência do sindicato, que não consegue representá-los como deveria. Mesmo diante dessas informações, as autoridades presentes detiveram-se apenas ao atraso do pagamento.

A Comissão Pastoral da Terra vem acompanhando o caso desde a manifestação realizada na terça-feira (12) ocorrida no pátio da usina e esteve presente na audiência. Diante da gravidade dos fatos e as novas acusações, a CPT-AL irá protocolar os dados e exigir as providências judiciais necessárias contra a exploração que os canavieiros estão sofrendo.










Nenhum comentário: