terça-feira, 5 de maio de 2009

Famílias camponesas realizam o sonho da casa própria

Com a ampliação do projeto, assentamentos sertanejos serão beneficiados


Texto: Helciane Angélica - Jornalista
Fotos: Arquivo da CPT-AL



Segurança, conforto, dois cômodos, banheiro, sala, cozinha e varanda parece até encarte de imobiliária, mas são as características das casas que estão sendo construídas no assentamento Cobras, localizado a 5km da cidade de Água Branca, localizado no sertão de Alagoas.

O sonho da casa própria foi possível após a conquista da terra (já foram credenciadas e vistoriadas) e o financiamento do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária/Governo Federal, por meio do crédito habitação que disponibiliza o material de construção e mão de obra. Para cada casa é necessário um orçamento de R$7.000 e normalmente é contratada uma construtora, porém, dessa vez foi determinada pela entidade a auto-gestão.

O técnico agropecuário da CPT-AL, Wellington Calado, informa que a construção segue as normas técnicas exigidas pelo Incra, porém, os moradores atuam como verdadeiros fiscais. O futuro morador acompanha todo o processo, um pedreiro e mais alguns amigos convidados, que em aproximadamente 30 dias realizam o trabalho.

A primeira fase do projeto tem previsão para ser concluída em maio. Ao todo, serão beneficiadas 23 famílias que moram nas adjacências e que atendam as exigências do Incra: não ter nenhum benefício e pendências na justiça; não ser proprietário de terras, e sim, agricultor. Além do “Cobras”, pretende-se construir mais 144 casas, distribuídas nos assentamentos de Nossa Senhora da Conceição e Todos Santos (Água Branca), e Velho Chico (Belo Monte); também serão reformadas casas dos assentamentos de Delmiro Gouveia (Inhapi) e Serra do Paraíso (Água Branca).

“A casa trará um conforto melhor para todas as famílias, sair da lona e ter uma estrutura normal de casa. Poderão dormir no seu quartinho, assistir uma televisão de forma tranquila e ter uma maior aproximação entre os membros da família. Além disso, estarão pertinho do seu roçado, evitando que suas leguminosas, frutíferas, hortaliças sejam atingidas por pragas, evitando assim prejuízos na sua renda”, declarou o também técnico agropecuário, José Carlos Medeiros.


Assentamento

No assentamento Cobras, os trabalhadores rurais plantam principalmente o feijão, milho e palma; além de criar galinhas de capoeira, caprinos e ovinos. Também possui uma horta e em abril, será instalado um apiário (cinco caixas), em parceria com o Instituto Xingó.

Dentre as dificuldades vivenciadas no local, estão: estrada em péssima qualidade, ausência de escola e posto de saúde nas redondezas.

Nenhum comentário: