quarta-feira, 29 de julho de 2009

CPT-AL: 25 anos a serviço das famílias camponesas


A Comissão Pastoral da Terra (CPT) teve início no ano de 1975 em Goiânia, em um período de silêncio e brutalidade impostos pelo regime militar. A inspiração dos Bispos católicos criou um organismo ecumênico capaz de compreender os camponeses e assessorar suas lutas por terra, direitos e liberdade, além de incentivar seu protagonismo.

Em Alagoas a CPT surgiu no ano de 1984, a realidade de miséria oriunda da monocultura da cana de açúcar, as milícias e a pistolagem exigiam uma ação pastoral forte para superar os obstáculos duros que impediam e ainda impedem os camponeses de se organizarem. O primeiro serviço no Estado ocorreu junto aos assalariados da cana com a prestação de assessoria jurídica e incentivando as oposições sindicais nos municípios de Colônia Leopoldina, Novo Lino, Judiá, Campestre e adjacências. As perseguições e ameaças cresceram na década de 90, quando dois padres que ajudaram a fundar a CPT na região tiveram que sair de Alagoas para não serem assassinados.

Nos anos 90 a luta pela reforma agrária pegou fôlego e a CPT assessorou as ocupações de terras organizadas pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na mata norte e no sertão alagoano. Assim começava um novo embate contra o latifúndio e apontava para os assalariados que a luta pela terra poderia representar uma alternativa à miséria imposta pela cultura da cana.

Em 27 de novembro de 1998 foi ocupada a Fazenda Flor do Bosque em Messias e representou uma mudança na ação da CPT em Alagoas, ali nasciam as ocupações coordenadas pela CPT. Atualmente são acompanhados 15 assentamentos e 25 acampamentos, distribuídas nas regiões do sertão, litoral, mata e agreste.

As Romarias da Terra e das Águas, as Feiras Camponesas, o Jejum em solidariedade as pessoas que passam fome, a Jornada em defesa dos direitos dos canavieiros e os Encontros de Formação são alguns dos espaços políticos e de formação que foram criados para fortalecer à luta dos camponeses e dialogar com a sociedade.

A CPT-AL celebra 25 anos de atuação no campo e reafirma o seu compromisso com as famílias camponesas em defesa da reforma agrária e na produção agroecológica, além de combater a exploração dos assalariados da cana que acontece diariamente nos canaviais de Alagoas.



Vida digna no campo: esta é a nossa luta!




À Coordenação

Maceió-AL, julho de 2009.

Nenhum comentário: