sábado, 25 de julho de 2009

CPT e MLST participam de caminhada nas ruas de Maceió

Cerca de 2000 trabalhadores rurais participaram do ato político


Por: Helciane Angélica - jornalista

Na tarde desta sexta-feira (24), cerca de 2000 trabalhadores rurais que recebem o apoio da Comissão Pastoral da Terra e do Movimento de Libertação dos Sem Terra marcharam juntos pelas ruas do centro da capital alagoana. O ato político fez parte das comemorações dos 25 anos da CPT em Alagoas e também reverenciou o Dia do Agricultor comemorado no dia 25 de julho.

Os agricultores dos dois movimentos se encontraram em frente à Catedral Metropolitana de Maceió e no caminho entoaram cânticos que representam o cotidiano no campo e palavras de ordem, e também, fizeram alguns pronunciamentos com o auxílio dos carros de som sobre a importância da reforma agrária e ressaltaram na produção agropecuária nos acampamentos e assentamentos.

A ação teve seu auge com a ocupação do prédio do antigo Banco do Produban, que hoje é a Secretaria de Turismo, e fica nas imediações do Palácio do Governo. “O Produban era um dos bancos mais fortes e ricos de Alagoas e realizou vários empréstimos para os usineiros, como eles não pagaram, as dívidas aumentaram e o resultado foi o fechamento das suas portas. Para quitar as dívidas, as terras dos devedores foram confiscadas e um projeto de lei foi aprovado, para garantir que essas terras sejam repassadas para a reforma agrária e a gente está aqui para exigir que isso seja cumprido”, disse Carlos Lima, coordenador estadual da CPT.

Em frente ao prédio, os manifestantes fizeram uma grande ciranda, cantaram várias músicas, inclusive, “parabéns para você” em consideração ao aniversário da CPT. Foi determinado que só sairiam com um posicionamento oficial do governo do Estado, para dar uma maior celeridade no processo da entrega das terras, pois já deveria ter acontecido há dois anos.

O ato durou aproximadamente quarenta minutos até o Secretário de Estado do Gabinete Civil, Álvaro Machado, entrar em contato e confirmar que será agendado um encontro com as lideranças para fazer um repasse sobre o andamento do processo, articular o leilão das propriedades e efetivar a distribuição das terras.



Carlos Lima e Marrom - lideranças da CPT e do MLST



MLST


Os trabalhadores rurais que são acompanhados pelo Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST) estão desde segunda-feira em Maceió, saíram do município de Messias em marcha até a capital, para exigir melhorias em suas áreas. E também aproveitaram para prestigiar a programação festiva da CPT.

De acordo com o coordenador do MLST, Marcos Antônio da Silva, conhecido por Marrom, o movimento teve início em 2002 no Estado de Alagoas, encontram-se em 66 municípios, e possui 52 acampamentos e 46 assentamentos distribuídos na zona da mata, litoral, agreste e do Vale do Mundaú. Nacionalmente, possui áreas acompanhadas em 16 estados.

Nenhum comentário: