sábado, 25 de julho de 2009

Governador diz à CPT que acredita na reforma agrária com justiça social


Integrantes da Comissão Pastoral da Terra foram recebidos pelo governador para discussão de pauta e destacaram parceria do governo nas ações pelo desenvolvimento no campo
Foto: Thiago Sampaio


O governador Teotonio Vilela Filho e secretários de Estado reuniram-se com integrantes da Comissão Pastoral da Terra (CPT) na manhã desta sexta-feira (24) para discutir uma pauta com reivindicações da entidade. O encontro ocorreu no Palácio República dos Palmares e fez uma retrospectiva da atuação da CPT em Alagoas nos últimos 25 anos.

Para o governador, é possível uma reforma agrária “justa e transparente”, com a participação das instituições e da sociedade. “É uma alegria recebê-los aqui, especialmente porque eu aprendi desde cedo a respeitar quem trabalha com a terra e dela tira o seu sustento”, disse o governador.

Segundo o coordenador estadual da CPT, Carlos Lima, o governo tem sido um parceiro incondicional das ações realizadas pelo movimento, especialmente na organização das feiras camponesas, trazidas a Maceió duas vezes ao ano.

Pontos discutidos — Um dos itens discutidos foi o apoio do governo às escolas itinerantes. De acordo com o secretário do Gabinete Civil, Álvaro Machado, foi publicado no Diário Oficial desta semana um convênio que garante o pagamento das professoras por mais um ano. “Elas devem receber já na primeira quinzena de agosto”, afirmou Machado.

Outro pedido da CPT foi o fornecimento de materiais de ensino para as escolas de assentamentos ligados à entidade. Segundo o gerente de Educação no Campo, José Raildo Ferreira, a Secretaria de Educação já autorizou a abertura de um processo para a compra desses materiais, inclusive cadeiras, lousas e giz. Com esses materiais, serão beneficiados os alunos que fazem parte do Programa Brasil Alfabetizado.

Ainda dentro da pauta da educação, foi lembrada a situação de uma extensão escolar no acampamento Santa Maria Madalena, em União dos Palmares. Ficou decidido que um grupo de trabalho formado pela Secretaria de Estado da Educação, CPT, Coordenadoria Regional de Ensino e Prefeitura Municipal de União dos Palmares irá fazer uma avaliação das condições da escola, que em seguida deverá passar por uma reforma. O resultado dessa avaliação deverá ser apresentado em 60 dias.

Estação de pesquisa — Já no final do encontro, foi discutida a situação das 40 famílias ligadas à CPT que desde o dia 25 de fevereiro de 2009 ocupam a estação de pesquisa de Igaci. O local pertence ao Estado e lá são desenvolvidas pesquisas de interesse da agricultura familiar.

Segundo Carlos Lima, o local estava abandonado e por isso foi ocupado. “Vamos conversar e resolver isso, mas eu garanto que as pesquisas vão continuar com o foco na agricultura familiar, e Alagoas não pode perder os recursos que estão chegando para isso”, declarou o governador Teotonio Vilela, referindo-se aos recursos destinados pelo Programa de Aceleração do Crescimento da Embrapa (PAC-Embrapa) para a pesquisa no Estado. Ficou acertado que uma nova reunião será marcada entre o governo e a coordenação estadual da CPT para decidir sobre a ocupação da estação de pesquisa. O Estado já tem uma liminar garantindo a reintegração de posse do local.

Pelo PAC-Embrapa, R$ 953 mil já foram enviados para reestruturar as três estações de pesquisa em Igací, Arapiraca e Santana do Ipanema. Mais R$ 3,75 milhões devem ser repassados ao Estado em setembro, e em 2010 são esperados mais R$ 2 milhões.

Participaram da reunião o secretário estadual de Agricultura, Jorge Dantas, o secretário do Gabinete Civil, Álvaro Machado, o presidente do Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (Iteral), Geraldo de Majella, o controlador geral do Estado, Alexandre Lages, o diretor do Centro de Gerenciamento de Crises da Polícia Militar, tenente-coronel Robson Cavalcante, além de cerca de 60 trabalhadores ligados à CPT e o coordenador nacional do movimento, padre Hermínio.


Fonte: Diego Barros - Agência Alagoas

Nenhum comentário: