sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Alagoas sedia Curso Nacional de Resolução de Conflitos Agrários

A CPT foi convidada para participar da mesa de honra na solenidade de abertura


Por: Helciane Angélica – Jornalista/CPT


Na manhã da quarta-feira (12.08) foi realizada a solenidade de abertura do I Curso Nacional de Resolução de Conflitos Agrários, no auditório da Academia de Polícia Militar localizada no bairro do Trapiche em Maceió-AL. O objetivo é proporcionar até o dia 28 de agosto, ações de capacitação para policiais militares e civis oriundos de dezesseis estados.

Na mesa de honra, estiveram presentes: Dalmo Sena, Comandante Geral da Polícia Militar de Alagoas; Paulo Rubim, Secretário Estadual de Defesa Social; Pedro Montenegro, Secretário Municipal de Direitos Humanos, Segurança Comunitária e Cidadania; o desembargador Gercino José da Silva Filho, Ouvidor Agrário Nacional; o comandante do Departamento da Força Nacional, coronel Luis Antonio Ferreira; o juiz federal membro do Comitê Executivo do Fórum Fundiário do Conselho Nacional de Justiça, Rodrigo Rigamonte Fonseca; Airton Tenório, Juiz da Vara Agrária/AL; Everaldo Patriota, advogado e Presidente do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos; Décio Lyra, procurador de justiça aposentado e Presidente do Conselho Estadual de segurança Pública (Conseg/AL); e representando os movimentos sociais, Carlos Lima, coordenador estadual da Comissão Pastoral da Terra.

De acordo com o representante da CPT/AL, Carlos Lima, a atividade representa um avanço significativo para o país. “Eu fico feliz em saber que a PM vem se destacando nessa discussão. Estou na CPT há 16 anos e pude conferir várias fases da polícia, conheci a truculência e o diálogo”. Também ressaltou que o centro dos conflitos agrários encontra-se justamente na concentração de terras e renda. “A questão agrária não é uma questão de polícia, e sim de interesses, de um lado está o usineiro que explora a terra apenas com a plantação da cana, e do outro, tem o povo que passa fome. Não dar para discutir conflito agrário sem discutir a concentração de terras, para se ter uma ideia, o Brasil é o segundo país do mundo em concentração agrária”, afirmou.

O Estado de Alagoas foi escolhido para sediar o evento devido aos avanços apresentados pelo setor de Gerenciamento de Crises da PM, principalmente, pelo diálogo que realiza junto aos diversos movimentos, e entre as partes envolvidas nos mais diversos conflitos. O curso é promovido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) em parceria com o Departamento da Força Nacional de Segurança e a Ouvidoria Agrária Nacional.

Nenhum comentário: