domingo, 27 de dezembro de 2009

Arcebispo celebra missa no Natal dos Trabalhadores Rurais

A Comissão Pastoral da Terra realiza todos os anos uma programação especial nas áreas acompanhadas, para agradecer as conquistas alcançadas e celebrar o nascimento de Jesus




Texto e fotos: Helciane Angélica – Jornalista/CPT




Neste sábado (26.12) as agricultoras e agricultores que moram no assentamento Irmã Dorothy Stang localizado no município de Porto de Pedras tiveram um dia festivo. Foi comemorado o Natal dos Trabalhadores Rurais organizado pela Comissão Pastoral da Terra em Alagoas, que também ficou marcado pela inauguração das casas para as 40 famílias distribuídas em cinco agrovilas, o centro comunitário e a capela da área.


A ocasião mereceu uma programação especial, iniciada com a santa missa celebrada pelo Arcebispo Dom Antônio Muniz, em seguida houve a benção das novas instalações, exposição fotográfica e um almoço coletivo. Estiveram presentes os padres Rogério Madeiro, coordenador das Pastorais Sociais na Arquidiocese de Maceió e Alex Cauchi, pároco de Japaratinga e colaborador na luta pela reforma agrária no Estado; participaram ainda a coordenadora do litoral norte, a irmã Cícera Menezes e outros representantes da direção da CPT.


Para chegar em algum lugar temos que enfrentar e superar os obstáculos e sofrimentos. Temos que seguir a mensagem de Jesus: ‘Eu venci o meu mundo’”, foram as primeiras palavras no pronunciamento do arcebispo, que também fez reverência aos períodos de angústia no assentamento que passou por despejos violentos e superou muitas dificuldades. Outro ponto de destaque na missa, foi quando ele sugeriu que em cada área da reforma agrária tivesse em um dos lotes, uma “casa de acolher” para ajudar pessoas necessitadas, como: crianças, idosos e pessoas que estão sofrendo com as drogas e até com a prostituição.


Dom Muniz destacou ainda a importância da instalação da capela dentro da área, fruto do trabalho de oito agricultores que colocaram a mão na massa para construir o templo que tem a fachada em formato de enxada. “Esse aqui é um espaço para a gente rezar e agradecer. Aqui será um espaço sagrado para a gente aprender a orar e a cantar, antes de ir para o roçado”, enalteceu. A iniciativa será adotada em outros assentamentos, e a próxima já será implantada em Flor do Bosque no município de Messias, na zona da mata.


Pela primeira vez, um arcebispo foi até um assentamento levar a mensagem divina para os trabalhadores rurais. “Convidamos Dom Muniz para essa cerimônia, porque ele é o nosso pastor aqui em Alagoas e queríamos que ele conhecesse de perto o nosso trabalho. Também para celebrar esse momento e a nossa luta, ainda mais, que muitas pessoas não acreditavam que a gente conseguiria esse pedaço de terra”, explicou Carlos Lima, historiador e coordenador estadual da CPT. Também destacou que a coragem e a fé dos agricultores enaltecem ainda mais as conquistas. “Foi no sofrimento que a gente cresceu e se fortaleceu, porque a gente sentiu a mão de Deus sobre nós”, afirmou.


O Natal dos Trabalhadores é uma tradição nos acampamentos e assentamentos acompanhados pela CPT-AL, é o momento de comemorar os avanços alcançados e refletir sobre a real importância do Natal, que representa o nascimento de Jesus Cristo. Neste ano, foi realizado em quatro momentos: no assentamento Margarida Alves em Maragogi (21.12); nos acampamentos Bosque II e III em Messias (22.12); no acampamento Santa Cruz em Murici (23.12) e o encerramento oficial no assentamento Irmã Dorothy Stang.

Nenhum comentário: