quarta-feira, 3 de março de 2010

Lideranças e autoridades participam da Assembleia da CPT

A atividade encontra-se na 21ª edição e aborda o tema “Campesinato: Cooperação e Solidariedade!”


Texto e fotos: Helciane Angélica - Jornalista/CPT


Na manhã dessa terça-feira (02.03) aconteceu a solenidade de abertura da 21ª Assembleia Estadual da Comissão Pastoral da Terra, no Centro Catequético Marista na Barra de São Miguel. O tema escolhido foi “Campesinato: Cooperação e Solidariedade”, que servirá de preparação para o maior desafio da organização deste ano: a implantação de uma cooperativa para ampliar o canal de comercialização dos produtos agroecológicos produzidos nas áreas da reforma agrária.

O evento foi iniciado com uma mística sobre a Campanha da Fraternidade de 2010 “Economia e Vida”, que estimula a reflexão da sociedade com o lema: “Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro”. Na ocasião, foram apresentadas as consequências do poder dos grandes latifundiários sobre o povo, que visam apenas o lucro e estimulam a escravidão, o desemprego, desmatamento, poluição e fome.

Dentre as lideranças e autoridades presentes estiveram: os padres Alex Cauchi (pároco de Japaratinga) e Rogério Madeiro (coordenador das pastorais sociais); Isaac Jackson, Presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT); Lenilda Lima representando a Marcha Mundial de Mulheres; Eliete da Pastoral das Favelas; Marluce Remígio do Sinteal; as lideranças dos movimentos rurais, Marrom do MLST e Zé Roberto do MST; o cientista social Sávio Almeida; e o Superintendente do Incra, Gilberto Coutinho.

A CUT-AL é considerada uma irmã de caminhada e já apoiou diversas atividades. “Não canso de repetir que é uma honra para a CUT manter essa relação de cumplicidade com os movimentos que lutam pela terra, principalmente, na nossa gestão que tem seis anos. Eu desejo um excelente debate para que vocês continuem lutando por um Brasil melhor no campo e na cidade, ainda mais nesse ano de mudança política, e os trabalhadores têm grande força nas eleições!”, afirmou Isaac Jackson.

A atividade também foi marcada pela entrega dos certificados para acampamentos que recebem o apoio da CPT e são exemplos de organização e resistência, respectivamente, o Flor do Bosque II (Messias) e Boa Esperança (Major Isidoro). Outro momento importante foi a entrega do Prêmio Dom Hélder Câmara, para a advogada Lana Mendes Costa, em reconhecimento ao trabalho voluntário desenvolvido em prol da reforma agrária.


Debate

Durante à tarde, o economista Cícero Péricles desenvolveu uma análise econômica do estado de Alagoas a partir da importância sócio-cultural da agricultura familiar. Destacou que no último censo agropecuário de 2006, detectou-se que os pequenos agricultores ocupam 11% da área agrária no Estado, mas são responsáveis pela maior parte dos alimentos que chegam às mesas dos alagoanos, como: 97% do arroz, 92% feijão, 88% mandioca; 92% milho; 100% do horti-fruti e 52% do leite produzido.

Em seguida, os participantes foram divididos em seis grupos para debater e refletir sobre três perguntas chaves: 1. Qual é a carência da assistência técnica nos acampamentos e assentamentos?; 2. Como é feita a comercialização dos produtos agroecológicos?; 3. Quando é que o crédito é importante?. No período noturno, ocorreu o encontro das mulheres reverenciando o Dia Internacional da Mulher e a avaliação sobre a força feminina na luta camponesa. A assembleia segue até quinta-feira, com a participação de 130 trabalhadores rurais oriundos do sertão, litoral norte e zona da mata.

Nenhum comentário: