quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Bastidores - Grito dos Excluídos em Alagoas

Por: Helciane Angélica - Jornalista/CPT-AL

Concentração em frente à Rodoviária de Murici

Os participantes oriundos da capital alagoana chegaram em ônibus concedidos pela comissão organizadora

Mobilização social e de integração entre o campo e a cidade

As pessoas também puderam participar do plebiscito nacional

Deram suas opiniões sobre o Limite da Propriedade da Terra

A votação segue até o dia 12 de setembro

Aos fundos, os galpões onde as famílias estavam alojadas

São dezesseis anos reivindicando os direitos dos oprimidos

Integrantes de pastorais sociais, religiosos, estudantes e movimentos sociais

Trabalhadores da CPT-AL também registraram presença

Carlos Lima ressalta a importância do Grito

Estudantes na mobilização

Pronunciamentos

Caminhada até o acampamento

Padre Rogério, Coordenador das Pastorais Sociais, entoou os cânticos da Igreja

Policiais da Força Nacional estiveram no local, pensando que poderia ser uma invasão

O mal-entendido foi resolvido e a caminhada prosseguiu

As barracas para onde as famílias foram transferidas durante à madrugada

Padre Manoel Matos exaltou sua indignação após conversar com moradores

Moradores relatam suas dificuldades

Visita à Comunidade Portelinha (MTL) que existe há três anos

Manifestantes percorreram as principais ruas da cidade

Breve parada na Praça Padre Cícero

Padre Alex relatou que muitas famílias ainda sofrem com inegistência de políticas públicas, após uma outra enchente, que ocorreu há 10 anos.

Encerramento na Igreja Santa Tereza - momento de renovação da luta e fé.

Nenhum comentário: