terça-feira, 21 de setembro de 2010

CPT realiza mobilização em defesa da qualidade de vida no campo


A pauta de reivindicação dos acampados e assentados é extensa e envolve vários órgãos públicos


Por: Helciane Angélica - Jornalista/CPT-AL


Teve início na tarde desta segunda-feira (20.09) a Mobilização Estadual pela qualidade de vida no campo, organizada pela Comissão Pastoral da Terra (CPT-AL), com o intuito de reivindicar melhores condições nos acampamentos e assentamentos acompanhados pela pastoral social que atua há 26 anos em Alagoas. Cerca de 600 camponeses e camponesas oriundos das 47 áreas da CPT (litoral norte, zona da mata e sertão) participam da ação.

As audiências tiveram início com a visita ao IBAMA, para solicitar a doação de madeiras, carvão, estacas e equipamentos que são apreendidos e ficam entulhados por longos períodos e que poderiam melhorar as vidas das famílias camponesas. Ficou agendada uma nova reunião para segunda-feira às 15h, quando o corpo técnico, ouvidoria, técnicos agrícolas da CPT e representantes dos trabalhadores rurais para ampliar as discussões e o garantir um mapeamento eficaz sobre a quantidade de material e para onde serão destinados, além disso, também estará em pauta o projeto de instalação de um viveiro no assentamento Flor do Bosque.

À noite, foi a vez de dialogar com os gestores da Eletrobrás e exigir que o Programa Luz para todos seja efetivado, pois tem áreas que estão há três anos sem energia elétrica, a exemplo das agrovilas situadas nos assentamentos Rio Bonito (Flexeiras), Padre Cícero e Nossa Senhora Aparecida (Água Branca); e os acampamentos Pedra Redonda (São José da Laje), São Sebastião (Fleixeiras), Boa Viagem (Olho D’água do Casado), Virgem dos Pobres (Major Isidoro), Santa Mônica (Belo Monte). Também o cumprimento da promessa de ter energias nos lotes do assentamento Dom Helder em Murici, onde os camponeses querem investir na irrigação e estão sendo impedidos.

A gente não precisa da energia elétrica apenas para ter nas casas, mas para ajudar nos nossos trabalhos na lavoura. Os transformadores que eles colocam são muitos fracos, porque não suportam as bombas para a gente fazer a irrigação na roça, queima lâmpadas e é capaz de queimar os poucos eletrodomésticos que a gente tenta ter”, declarou o assentado Genival de Lima Santos.

A reunião teve um saldo positivo, os gestores da Eletrobrás ouviram as dificuldades em cada área e garantiram a finalização dos trabalhos até novembro em dois assentamentos sertanejos, e na próxima terça-feira iniciarão as visitas nas demais. localidades Os camponeses dormiram no prédio e agora no início da manhã seguirão em caminhada pela Avenida Fernandes Lima até o Palácio República dos Palmares, onde discutirão a pauta de reivindicação junto ao governo.

Nenhum comentário: