terça-feira, 2 de novembro de 2010

Ações da CPT-AL é tema de palestra na Alemanha


Anke Nikolaus estagiou na instituição em 2009 e irá relatar suas experiências junto aos sem-terra


Texto e foto: Helciane Angélica - Jornalista / CPT-AL


Nesta terça-feira (02.11) às 20h na Alemanha, 16h horário de Brasília, terá uma palestra com o tema “Terra de Deus: Terra de Irmãos!” que em alemão é traduzido para “Gottes Land: Land der Geschwister!”, que será ministrado pela estudante de Geografia, Anke Nikolaus. Ela recebeu o convite para relatar sua experiência e os aprendizados durante o período que estagiou na Comissão Pastoral da Terra de Alagoas em 2009.

A atividade acontecerá na "Weltladen Altstadt" uma loja onde são vendidos produtos oriundos de projetos de desenvolvimento sustentável, que encontra-se interligada a uma Associação chamada "Eine Welt Zentrum" que significa “Centro do mundo”. Na ocasião serão divulgados vários projetos realizados no mundo inteiro, dentre eles, as ações desenvolvidas pela CPT-AL que auxilia as famílias camponesas e busca garantir os seus direitos quanto à terra, água, moradia digna e cidadania.

Anke declarou para a Assessoria de Comunicação da CPT-AL que não gosta muito de falar em público, mas apesar do nervosismo está muito feliz em partilhar as suas impressões. “Primeiro eu vou mostrar o filme Tabuleiro de Cana, para mostrar a problemática da estrutura fundiária injusta e depois vou contar sobre a realidade dos assentamentos e sobre os eventos, como a feira camponesa e a romaria. Quero falar sobre tudo que eu conheci quando estava no Brasil!”, destacou.

Ela irá ressaltar as dificuldades enfrentadas por muitas famílias sem-terra que moram por vários anos em barracos de lona e sonham em trabalhar no seu pedaço de terra. Também mostrará imagens sobre a diversidade agropecuária nos assentamentos da reforma agrária, apicultura no sertão e a produção de objetos e acessórios artesanais com a fibra da taboa, além de mencionar o trabalho de comunicação executado nas mídias sociais (blog, Orkut e twitter) na internet.

A ação é aberta ao público, foram distribuídos vários folhetos e divulgado na internet, acesse: http://eineweltzentrum.millenium.de/web/cms/front_content.php?idcat=104&idart=641.

___________________________________________________________________

Confira abaixo o email enviado por Anke Nikolaus logo depois que terminou o período de estágio na CPT-AL. Alguns termos foram revisados pela Assessoria de Comunicação para facilitar a compreensão do texto.

"A primeira vez que eu encontrei os problemas da estrutura fundiária foi quando eu estava procurando literatura para um estudo. Na Alemanha eu estudo geografia e naquela época eu frequentava um curso sobre os problemas de desenvolvimento nos países do parte sul do mundo.

Um ano mais tarde eu encontrei um anúncio numa página de internet sobre um estágio na Comissão Pastoral da Terra. Assim o meu interesse para a iníqua estrutura fundiária foi acordado de novo e cresceu o interesse de trabalhar na CPT. Como a estrutura fundiária não e natural, mas feito pelos homens é no mesmo tempo uma estrutura, que pode ser mudada pelos homens. Eu tinha a vontade de conhecer como a mudança dessa estrutura, a reforma agrária, chegar a ser realidade. Por isso eu aceitei ir para o Brasil e fazer esse estágio, além de conhecer a CPT.

Nas primeiras semanas do estágio eu arquivei as notícias antigas dos jornais sobre a luta dos sem terras, sobre a história da CPT e sobre assuntos que falam das problemáticas dos sem terras. Esse trabalho me ajudou muito, consegui uma visão geral sobre alguns assuntos importantes da agricultura, da reforma agrária e da história da CPT em Alagoas.

Além disso, no inicio do meu estágio eu tinha a possibilidade de conhecer a vida dos assentados e acampados pelas várias visitas dos assentamentos e acampamentos em todas as regiões de Alagoas.  Eu aproveitei muito a abertura, cordialidade e hospitalidade, com qual as pessoas lá me aceitaram. Para mim, cada visita nos assentamentos e cada conversa com as pessoas lá foi um ponto brilhante mesmo, momentos, que eu nunca vou esquecer. Dentro desses foram uma noite linda com cantada em Boa Esperança, a celebração do Natal em Flor de Bosque e em Santa Cruz e uma missa comovente em Irma Dorothy (assentamento).

No Rio de Janeiro eu tive a oportunidade de ficar duas vezes para uma semana nos assentamentos para fazer uma pesquisa. Viver com os assentados e como os assentados foi iluminado. Mesmo que a vida deles é muito diferente do que a minha vida, mesmo que parece com um outro mundo, tinha muitas coisas, quais pareceram conhecidas e parecidas. Comendo juntos, assistindo novelas ou escutando piadas eu me sinto quase em casa dentro desse “outro mundo”.

Afinal de contas o meu tempo aqui no Brasil e especialmente o estágio na CPT foi muito enriquecedor para mim. Eu aprendi uma língua nova e aprendi um monte das coisas sobre a geografia, a agricultura e a cultura do Brasil. E ainda por cima eu conheci um “outro mundo” e meti esse mundo no meu coração. Como as pessoas dos assentamentos e acampamentos me hospedarem nas casas deles, assim eu acolhi eles no meu coração. Eu não vou nunca esquecer o meu tempo no Brasil, nem as pessoas, quais eu encontrei durante desse tempo. E como os sem terras lutam contra a injustiça da estrutura fundiária com muito sofrimento, assim eu quero nunca esquecer de lutar contra a injustiça. Seja lá onde for!"
(Anke Nikolaus - fevereiro de 2010)

Nenhum comentário: