quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Às autoridades brasileiras responsáveis pela questão agrária


Prezados Senhores,

Sou um cidadão que acompanha a luta dos sem terra no estado de Alagoas e tenho contribuído com ajudas solidárias às famílias acompanhadas pela Pastoral da Terra de Alagoas.

Fui informado pela Pastoral da Terra que já foram despejadas 123 famílias nos primeiros dias do ano e que 100 famílias do acampamento Bota Velha, em Murici, estão ameaçadas de despejo.

Sabemos da pobreza extrema que vive uma parte significativa do povo alagoano, por meio dos relatos feitos pela CPT e dos testemunhos de amigos que estiveram em Alagoas e visitaram os sem terra. Também estive em Alagoas e conheço a realidade de perto.

As famílias estão acampadas em Bota Velha desde 2002 e vivem uma relação de respeito com a natureza, produzindo de forma orgânica alimentos sadios para o sustento e vendendo nas feiras o excedente. Na correspondência enviada pela CPT, constatamos pelas fotos, que tem uma escola, capela, casa de farinha, energia elétrica e muita produção, seria um crime destruir alimentos e sonhos.

O despejo está programado para o dia 20 de janeiro, escrevo esta carta solicitando que haja empenho das autoridades e solidariedade com os mais pobres, evitando o despejo e o sofrimento dessas famílias.

Aguardo esperançoso que haja diálogo e que os sem terra possam continuar plantando na Bota Velha e que mais alimento chegue à mesa das famílias.


Simon Foppa
Geógrafo - Suíça

_________________________________________________

A Vara Agrária concedeu mais 30 dias para que as famílias camponesas deixem a área, mas a luta continua!

Nenhum comentário: