quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Educadores canadenses visitam acampamento Bota Velha


A área é acompanhada pela CPT há nove anos, possui 102 famílias camponesas que estão ameaças de despejo



Por: Helciane Angélica - Jornalista/CPT-AL


Uma comitiva formada por educadores e alunos do Canadá visitará nesta quinta-feira (17.02) a partir das 8h30, o acampamento Bota Velha que recebe o apoio da Comissão Pastoral da Terra (CPT-AL), localizado no município de Murici, zona da mata de Alagoas.

Os nove canadenses conhecerão todos os espaços do acampamento, como: a produção agroecológica que é diversificada, a criação de animais, açude e casa de farinha. Além disso, ouvirão os relatos das famílias camponesas que estão ameaçadas de despejo.

Por volta das 10h terá a celebração de uma missa com a presença do padre Rogério Madeiro, Coordenador das Pastorais Sociais da Arquidiocese de Maceió; padre Alex Cauchi, da coordenação da Pastoral da Terra; padre Renilson, Pároco de Murici; e o padre João Caruana oriundo do país europeu Malta, que atua como pároco em Maringá há mais de 20 anos.

No encerramento da programação, os acampados oferecerão um almoço para os convidados especiais com produtos oriundos do próprio roçado. A fazenda Bota Velha foi ocupada em 2002 e atualmente possui 102 famílias camponesas que vivem em comunidade, moram em casas de taipas, conquistaram energia elétrica, tem uma escola itinerante e construíram uma pequena capela.

E nesta sexta-feira (18.02) às 10h, no Palácio República dos Palmares em Maceió, terá uma audiência com o Governador Teotonio Vilela Filho onde a Pastoral da Terra solicitará a permanência das famílias no local. Na ocasião, será discutida a velocidade dos despejos, o uso ostensivo de militares, e o drama das 1.283 famílias despejadas dos 26 acampamentos que agora estão vivendo nas rodovias e passando por dificuldades.

O Tribunal de Justiça determinou a suspensão das reintegrações de posse nos próximos três meses, e também, sugeriu às lideranças dos movimentos rurais que pedisse a intermediação do Governo de Alagoas junto ao INCRA local e nacional, em busca de recurso para obtenção de terras.



Nenhum comentário: