quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Trabalhadores rurais ocupam Porto de Maceió


CPT, MST, MLST E MTL protestam contra o agronegócio e o destino de miséria que estar sendo ofertado às famílias camponesas de Alagoas


Nas primeiras horas desta quinta-feira (10.02) os trabalhadores rurais interligados à Comissão Pastoral da Terra (CPT), Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST) e o Movimento Terra, Trabalho e Liberdade (MTL) saíram em caminhada pelas ruas do centro da capital alagoana, em seguida, ocuparam o Porto de Maceió no bairro do Jaraguá.

A ação serve para protestar contra a violência no campo, destruição de 100 hectares de alimentos e o despejo de 200 famílias camponesas no mês de janeiro, que estavam produzindo e sobrevivendo do trabalho na terra há vários anos. Sem alternativa de sobrevivência e sem ter para onde ir, os movimentos rurais culpam os grandes empresários do agronegócio pela expulsão do homem do campo para as cidades e a ampliação da miserabilidade.

A Vara Agrária, Governo de Alagoas e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) que deveriam dar as condições para as famílias camponesas viverem com dignidade, estão contribuindo para o aumento das problemáticas sociais e não realizam a reforma agrária no Estado.

A ocupação é por tempo indeterminado e o acampamento na Praça da Faculdade permanece, além disso, os protestos serão intensificados ao longo da semana.

Nenhum comentário: