quinta-feira, 3 de março de 2011

Assentamentos são homenageados na 22ª Assembleia Estadual

Todos os anos, a CPT entrega os certificados de Organização e Resistência para acampamentos e assentamentos que se destacaram


Texto e fotos: Helciane Angélica - jornalista/CPT-AL


Na manhã desta quarta-feira (02.03), no Centro Catequético dos Irmãos Marista localizado na Barra de São Miguel, recebeu camponeses e camponesas de várias partes de Alagoas para participar da 22ª Assembleia Estadual da Pastoral da Terra. A atividade discute neste ano o tema “Agricultura Camponesa: Cooperação com o planeta”.

A mesa de abertura foi composta por Padre Hermínio Canova, coordenador nacional da Comissão Pastoral da Terra; Padre Alex Cauchi da CPT-AL; Omar Bório, Presidente da associação italiana Pachamama; Padre Rogério Madeiro, Coordenador das Pastoriais Sociais; José Heriberto Barros, Diretor do Sindicato dos Bancários; e Lenilda Lima, Presidente do PT-AL e que provavelmente será a nova Superintendente regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Segundo o Padre Rogério Madeiro, Coordenador das Pastorais Sociais da Arquidiocese de Maceió, a luta dos sem terra é um exemplo para vários setores da sociedade e vivem no cotidiano o Evangelho. “Vocês diariamente estão em busca de libertação, e a reforma agrária é uma forma concreta de enxergarmos a construção do reino de Deus. Vocês são um exemplo para nós da Igreja, sindicatos e demais movimentos sociais. São homens e mulheres que mesmo com a dor, continuam lutando pelo sonho de vocês, e que essa assembleia fortaleça cada um de vocês, e para que as pessoas do campo e da cidade possam construir uma vida melhor para todos”, afirmou.

O momento mais esperado da manhã foi a entrega dos certificados de Organização e Resistência, que é concedido todos os anos pela CPT aos acampamentos e assentamentos que se destacaram. O assentamento Nossa Senhora Aparecida em Água Branca, sertão alagoano, foi reconhecido há oito meses pelo Incra. As 50 famílias ficaram acampadas por dois anos, e hoje, vivem em casas de taipa, conquistaram energia elétrica, tem produção diversificada e criação de animais de pequeno e grande porte.

Já os assentamentos Jubileu 2000 e Quilombo dos Palmares, receberam o Certificado de Resistência pela ação ousada em novembro de 2010, quando apreenderam as máquinas do Departamento de Estradas e Rodagem (DER) como forma de protesto sobre a morosidade para garantir as melhorias nas estradas de acesso. No período chuvoso, as famílias ficam completamente ilhadas, não conseguem escoar a produção e ficam impossibilitadas de levar as crianças nas escolas e ir aos postos de saúde.


Nós montamos essa estratégia para chamar a atenção da sociedade e para resolver os problemas da estrada, se a gente grita ninguém ouve, foi então que pegamos as máquinas e dissemos que íamos queimar. Nós estamos lutando por nossos direitos há dez anos, a estrada tá aí, as máquinas aqui e o que estava faltando?”, relembrou o assentado Ciriacro. Os órgãos competentes além de fazerem os paliativos nas estradas dos fazendeiros da região, também, tiveram que ceder à pressão das famílias assentadas.

Nenhum comentário: