quinta-feira, 31 de março de 2011

CPT lança documentário “A bota velha é nossa” nesta sexta-feira


O documentário visa sensibilizar as autoridades e a sociedade sobre a luta das 102 famílias camponesas, que vivem há nove anos no Acampamento Bota Velha e estão ameaçadas de despejo



Por: Helciane Angélica - Jornalista/CPT-AL

Nesta sexta-feira (01.04) às 19h30, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) lançará o curta-metragem “A Bota Velha é Nossa” durante a programação cultural da Feira da Esperança e da Solidariedade, em frente à Igreja São Gonçalo no bairro do Farol, em Maceió. O documentário foi produzido em parceria com a Central Única dos Trabalhadores (CUT-AL) e o programa “Eu quero Ver” da TV COM.

Com 15 minutos de duração, o documentário aborda a luta e resistência no Acampamento Bota Velha localizado no município de Murici, zona da mata alagoana, que é acompanhado pela CPT desde 2002. O vídeo terá legendas traduzidas para outros idiomas como inglês, francês e italiano – inclusive, será divulgado na internet e repassado para instituições amigas da reforma agrária que estão no Exterior.

As 102 famílias se fixaram em dois núcleos (Bota Velha e Santa Cruz) nas terras improdutivas da antiga Fazenda Bota Velha arrendada pela Usina Santa Clotilde e possuem uma boa produção agroecológica. Os acampados estão vivendo e trabalhando em 50 hectares do imóvel rural e produzem cerca de 40 hectares com: hortaliças, macaxeira, inhame, abóbora, melancia, feijão, etc; além de uma pequena criação de animais (galinhas, ovelhas, patos) e ainda possui um açude com peixes diversos.

No local existe energia elétrica, as casas são de taipa, com telhas e algumas de alvenaria. Foi instalada uma casa de farinha, com recursos dos próprios camponeses, e juntos conseguem produzir cerca de 500kg de farinha por semana que é comercializado nas feiras livres dos municípios vizinhos. E para renovar o desejo de continuar lutando por vida digna no campo e ter a fé fortalecida, os camponeses construíram duas capelas.

Uma escola itinerante com ensino multiseriado foi implantada e tem professoras monitoras remuneradas pela Secretaria Estadual de Educação e Esporte, por meio de um convênio específico com a CPT, destinado as melhorias na Educação do Campo. Crianças entre seis aos 12 anos aprendem o conteúdo comum às escolas convencionais, e ainda, recebem noções de cidadania, cuidados com o meio ambiente, além da preservação dos costumes campesinos. Os jovens e adultos também estão sendo alfabetizados e descobrindo um mundo novo por meio da leitura e do conhecimento.

A Arquidiocese de Maceió, professores universitários, pesquisadores e lideranças dos movimentos sociais já manifestaram apoio às famílias camponesas que se encontram amedrontadas com as ameaças de reintegração de posse realizadas pela Vara Agrária. Essas famílias vivem em comunidade em uma área que já poderia ter sido transformada em assentamento pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), e sem perspectiva de resolução.



FICHA TÉCNICA

Direção: Carlos Lima e Daniel Felipe Quaresma Santos
Roteiro: Carlos Lima, Daniel Felipe Quaresma Santos, Gildeon Santos (Zazo), Helciane Angélica.
Edição: Gildeon Santos (Zazo)
Imagens: Daniel Felipe Quaresma Santos
Assistente Técnico: Genivaldo Henrique da Silva
Música de Abertura: “A Marcha” - Stanley Carvalho
Texto: Carlos Lima
Narração (Poesia e Música Final): Gustavo Gomes

Nenhum comentário: