quarta-feira, 20 de julho de 2011

Trabalhadores rurais ocupam sede da Secretaria de Agricultura do Estado


Trabalhadores rurais ligados a Comissão Pastoral da Terra (CPT) ocupam, na manhã desta quarta-feira (20) a sede da Secretaria de Agricultura (Seagri), no Centro de Maceió. Nas primeiras horas da manhã eles desocuparam a sede da Eletrobras Distribuição Alagoas e seguiram em caminhada pela Avenida Fernandes Lima, em direção ao Centro.

Segundo o coordenador da CPT em Alagoas, Carlos Lima, o grupo terá uma reunião com o governo na sede da secretaria e durante a tarde os agricultores seguem para a sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) onde terão nova reunião para discutir serão as reivindicações do grupo.

Carlos Lima disse que serão tratadas com o secretário do órgão, Jorge Dantas, várias questões. “Queremos tratar sobre água nos assentamentos, estradas que dão acesso aos acampamentos, licenças ambientais e a liberação de técnicos da Seaqri para o assentamento Flor de Bosque, em Messias, para a criação de peixes e o cultivo de frutas”, ressaltou ele.

De acordo com o coordenador, na sede do Incra, estarão em pautas com a superintendente Lenilda Lima conversas para a uma explicação para a venda de lotes ilegalmente no primeiro semestre de 2011 e as prioridades do órgão para o segundo semestre.

Na tarde desta terça-feira (19) os agricultores ocuparam a sede da Eletrobras para cobrar a efetivação do programa federal Luz para Todos, que ainda não contempla todas as áreas da reforma agrária.

Segundo a CPT, apenas os postes foram instalados há um ano, o que atrapalha a vida nos assentamentos. Os trabalhadores prometem retornar a Eletrobras em 60 dias.

Outras pautas de reivindicações também serão tratadas em outros órgãos públicos. Na lista estão Instituto do Meio Ambiente (IMA), Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (Iteral), e na Superintendência Regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra-AL). A mobilização é por tempo indeterminado.


Nenhum comentário: