sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

CPT premia camponês que produz de forma diversifica em área de reforma agrária

Camponês José Elias

Railton Teixeira
CPT/AL

José Elias ganhou um sistema de irrigação como premiação pela prática agroecológica

O agricultor José Elias, do assentamento Jubileu 2000, localizado no município de São Miguel dos Milagres, área litorânea de Alagoas, cultiva em seu lote as mais diversas culturas de árvores frutíferas, motivo esse que o fez ganhar o prêmio José Silvestre 2011, durante a realização da Feira Camponesa, organizada pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), edição de outubro de 2011.

Em sua 3ª edição, o prêmio José Silvestre, tende a estimular e otimizar a produção dos agricultores acompanhados pela Pastoral da Terra e, de acordo com a CPT, anualmente, sempre na edição da Feira Camponesa de outubro, um camponês é escolhido pela equipe técnica e recebe uma premiação em que possa ser útil na produção dos produtos comercializados nas feiras, patrocinado pela Secretaria de Estado da Agricultura (SEAGRI).

“Durante a organização da Feira Camponesa, na edição de outubro, a equipe técnica da pastoral escolhe uma região. A edição de 2011 contemplou o litoral, seguindo um processo rigoroso de escolha da prática agroecológica cultivada nos lotes, tendo como critério principal a diversidade da produção, o trabalho familiar e a participação nas feiras”, explicou Carlos Lima, coordenador da CPT.

No lote do agricultor José Elias há uma variedade no cultivo, podendo ser encontrado os mais variados frutos, entre eles: coco, goiaba, laranja, manga, caju, jaca, pinha, pitanga, graviola, cereja, abacate, banana (cumprida, nanica e maça), além do feijão, batata, macaxeira, abacaxi e maracujá.

O agricultor, que vive com a esposa e mais seis filhos, no assentamento, também tem a criação de galinha, porcos, peru e cavalo, em um lote que segundo os técnicos agrícolas da CPT, é de difícil cultivo por serem terras montanhosas.

Para auxiliar nos trabalhos do agricultor, a CPT, juntamente com a SEAGRI, o premiou com um sistema de irrigação, que o possibilita regar a produção em todo o lote.

Segundo José Elias, algumas técnicas de estrumação da terra, à distância e a forma de plantação são responsáveis pela variação das árvores frutíferas sem o uso de agrotóxicos. “Você ver o mato no meio do roçado não sabe que ele pode proporcionar um sombrio, em tempos secos. Já no inverno uma forma de cobrir a terra do processo de erosão”.

Iniciativa e sonho

José Elias destaca que a iniciativa de produzir uma diversificada plantação vem desde criança e segundo ele, o sonho que parecia estar bem longe se transformou em poesia.

“Quando criança sempre pensava comigo mesmo, ‘quando eu adquirir o meu pedaço de terra, eu construirei uma casa cercada de todo o tipo de plantação e de fruteiras”, confessou José Elias, enfatizando que ao iniciar o plantio das primeiras frutíferas a sua esposa não acreditava que chegaria a colher. “A minha esposa sempre dizia que a gente iria morrer e não comeria desses frutos, não foi bem assim”.

Premio José Silvestre

O prêmio foi criado pela CPT em 2009 em homenagem ao agricultor José Silvestre que morreu, vitimado por um ataque cardíaco fulminante, em seu lote enquanto trabalhava, e conta com o apoio da SEAGRI.

Na edição de 2010 o agricultor premiado foi Pedro Alves Rodrigues, conhecido como Pedro Bentinho, do assentamento Todos os Santos, localizado no município de Água Branca, sertão alagoano.

Segundo Carlos Lima, Pedro Bentinho é uma referência em disposição ao trabalho e a cultura diversificada. Em seu lote o camponês produz: abóbora, mandioca, feijão, milho, palma e tem uma pequena criação de bovinos e galinhas.

A próxima edição do Prêmio José Silvestre, a ser realizada durante a Feira Camponesa 2012, edição de outubro, contemplará um camponês da região da mata alagoana.

Nenhum comentário: