sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

CPT/BA participa de debate sobre trabalho escravo


CPT/BA

Para marcar o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, celebrado em 28 de janeiro, entidades públicas e organizações civis realizam em todo o país debates sobre o tema. Na Bahia, o ato para chamar atenção sobre o problema do trabalho escravo aconteceu na tarde da última quarta-feira (01), no auditório da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, no Centro Administrativo, em Salvador. A CPT, que integra a Campanha de Combate ao Trabalho Escravo participou do evento organizado pela Comissão Estadual para a Erradicação do Trabalho Escravo (Coetrae) da Bahia.

Para Juliano Vilas Boas agente da CPT e da Campanha, o debate foi uma oportunidade de cobrar ações mais efetivas das autoridades. "A Bahia prescisa assumir posturas mais concretas no cobate a este crime", enfatizou.

O dia 28 de janeiro foi escolhido para homenagear três auditores fiscais e um motorista assassinados em 2004, na zona rural de Unaí (MG), 600 quilômetros a noroeste de Belo Horizonte e a 170 de Brasília. Erastóstenes de Almeida Gonçalves, João Batista Soares Lage, Nelson José da Silva e Ailton Pereira de Oliveira formavam um grupo que vistoriava condições de trabalho e moradia de colhedores de feijão. O município mineiro é o maior  produtor do grão no país. Entre os acusados como autores e mandantes da Chacina de Unaí, quatro réus encontram-se em liberdade, beneficiados por habeas corpus. Outros cinco (acusados de participar da execução) permanecem presos.

Nenhum comentário: