quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Reforma Agrária: uma política de combate à miséria!

Continuaremos acampados...


Alagoas sedia a reunião dos superintendentes dos INCRA’s do Nordeste com o seu presidente, Carlos Guedes. O que poderia ser uma oportunidade de ampliar e massificar a distribuição de terra no nordeste e em Alagoas, de discutir estratégias para assentar milhares de famílias sem terra que há anos estão acampadas em rodovias ou fazendas; ou ainda, melhorar as condições de vida das famílias assentadas que sofrem com a falta de estrada, de energia adequada, de água potável, de educação no campo, postos de saúde, campo de futebol... Tornar o campo e as áreas de assentamentos um lugar bom de viver.


O que deveria ser uma parada para refletir a atual situação do INCRA, que foi esvaziado pela política do governo federal ou ainda uma discussão que tivesse como alicerce o segundo Plano Nacional de Reforma Agrária, esquecido pelo governo Lula e transformado em arquivo morto pela presidente Dilma. Ou então para efetivar as reivindicações dos movimentos sociais do campo que lutam pelo limite da propriedade da terra e a revisão dos índices de produtividade. Outro ponto relevante seria como o Estado brasileiro vai incorporar as terras das usinas de açúcar que estão falindo na região e colocá-las à disposição dos INCRA’s estaduais para transformá-las em áreas da reforma agrária.


Na nossa visão não passa de mais uma reunião, sem uma novidade a ser dita. O centro do encontro é um retrocesso histórico e político que é a confirmação que a Reforma Agrária, que deveria ser fortalecida como uma Política de governo vem sendo transformada num programa; pegando carona no Brasil Sem Miséria para sobreviver.


Lamentável o rumo do governo federal, que fez opção pelos grandes projetos, colocando os bancos oficiais e o dinheiro público para financiar as grandes obras que o capital impõe (transposição do rio São Francisco, Transnordestina, copa do mundo, usina de Belo Monte, usinas de cana de açúcar...), utilizando um discurso social para justificar os recursos disponibilizados. Ao mesmo tempo trata os conflitos e as tensões sociais com programas assistencialistas que não modificam as estruturas, não trabalham a autonomia camponesa e colocam milhares de nordestinos numa situação de fragilidade.


Propomos aos superintendentes dos INCRA’s nordestinos que enfrentem este debate abertamente, que lutem para que o INCRA volte ocupar um espaço privilegiado no governo, que volte a ser o órgão responsável pela reforma agrária, que oxigenem o órgão com concursos públicos e valorização dos servidores e que se coloquem contra a ofensiva do capital, em favor das comunidades tradicionais e dos assentamentos da reforma agrária.


Enquanto o governo insistir com a política que nega a reforma agrária vamos nos recusar a participar desses momentos, que legitimam o modelo e constroem um pseudo-diálogo entre o governo e os movimentos sociais.


A nossa pauta é a mesma e vamos continuar acampados.

Maceió, 31 de outubro de 2012.

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem terra (MST) Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST), Movimento Terra Trabalho e Liberdade (MTL) e Comissão Pastoral da Terra (CPT)

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Está chegando a 17ª Feira Camponesa - Um pedaço do campo no coração de Maceió



A Feira levará a Capital alagoana toneladas de alimentos produzidos por camponeses e camponesas das áreas de Reforma Agrária de todo o estado

Começa nesta quarta-feira, dia 24, e vai até o próximo dia 27, a 17ª edição da Feira Camponesa, que será realizada na Praça da Faculdade, em Maceió/AL. Com o lema “Plantar, colher e repartir”, a Feira reunirá mais de 100 agricultores e agricultoras de assentamentos da Reforma Agrária das regiões do sertão, zona da mata e litoral do estado, que irão comercializar toneladas de alimentos a preços justos e livres de agrotóxicos.

“A feira, organizada pela Comissão Pastoral da Terra de Alagoas, é uma expressão da capacidade dos camponeses e camponesas de produzirem alimentos de qualidade. É uma manifestação camponesa na capital, no centro urbano, trás o espaço, o jeito do campo para a cidade e aproxima os que produzem dos que consomem”, ressalta o coordenador regional da CPT, Carlos Lima.

A abertura do evento está marcada para as 8h da manhã do dia 24. Na ocasião um café da manhã com produtos da Reforma Agrária será ofertado para convidados e convidadas, autoridades, representantes de instituições e companheiros de sindicatos, organizações e movimentos sociais parceiros na luta em defesa da agricultura camponesa.

Macaxeira, abacaxi, banana, laranja, mel, côco, ovos de capoeira, feijão, batata, inhame, hortaliças. Estes são alguns dos vários alimentos produzidos de forma agroecológica que estarão disponíveis para toda a população nas mais de 100 barracas de feirantes. Além da comercialização dos alimentos, a feira também contará com várias atrações, como a tradicional Casa de Farinha, que oferecerá beiju e farinha produzidos na hora para o público, além do Restaurante Camponês, que terá em seu cardápio comidas típicas do campo a preços populares, como galinha velha, rabada e buchada.

O evento também contará com programação noturna, todas as noites, sempre a partir da 19h. Na quarta-feira, dia 24, subirão no palco da Feira Camponesa os grupos Samba da Ladeira e a reconhecida Seresta da Pitanguinha. Na quinta-feira, dia 25, é a vez do forró pé de serra do Trio Nó Cego e Guilla Gomes, com seu pop rock. Já na sexta-feira, dia 26, a festa ficará por conta de Cleber Canto e o forró pé de serra de Pinóquio do Acordeon e banda, além da realização do tradicional bingo de um carneiro. A Feira Camponesa funcionará todos os dias, das 6h até as 23h, com exceção do sábado que se encerá as 14h.

Para Carlos Lima, da CPT, a realização da Feira Camponesa é um exemplo, uma conquista, e mostra a importância da luta pela terra em um estado estado marcado pela exclusão social fruto da concentração de terras e do monocultivo da cana de açúcar”.

Outras informações:
Carlos Lima
Fone: (82) 9137. 6112
Heloísa Amaral
Fone: (82) 9341.4025

Serviço:
O que: 17 Feira Camponesa – Plantar, colher e repartir
Quando: De 24 a 27 de outubro de 2012
Onde: Praça da Faculdade, bairro do Prado – Maceió/AL.

Programação Noturna:
Local: Palco da Feira Camponesa – Praça da Faculdade, bairro do Prado, Maceió/AL
Hora: A partir das 19h

Quarta-feira, dia 24/10
Samba da Ladeira
Seresta da Pitanguinha.

Quinta-feira, dia 25/10
Trio Nó Cego
Guilla Gomes

Sexta-feira, dia 26/10
Cleber Canto
Pinóquio do Acordeon e banda
Tradicional Bingo de um Carneiro

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

quarta-feira, 10 de outubro de 2012