segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Mesmo após denúncias, continuam as ameaças aos acampados em Belo Monte (AL)

Reunião com o INCRA e a Polícia Militar pode pôr fim a despejos ilegais

Lideranças do acampamento Santa Mônica e representantes da Comissão Pastoral da Terra – CPT – se reunirão amanhã, 28 de janeiro, com o INCRA e o Centro de Gerenciamento de Crises da Polícia Militar para tentar pôr fim às ações ilegais praticadas contra os camponeses em Belo Monte - AL.

Como denunciado na matéria “Camponeses têm suas moradias destruídas sem ordem judicial”, dezenas de casas foram demolidas e a prática do terror psicológico é cada vez mais constante no acampamento. Moradores denunciam até o envolvimento de Policiais Militares em ações sem ordem judicial, a serviço do prefeito da cidade, Avânio Feitosa.

“Essas famílias moram há cinco anos neste imóvel que está em negociação para a Reforma Agrária. Não podemos admitir que as ameaças continuem e nada seja feito”, afirmou Carlos Lima, ao se referir à falta de ação por parte do Estado.

A derrubada dos barracos sem ordem judicial realizado no dia 13 de janeiro é uma ação ilegal que fere o Provimento 11/99 do Tribunal de Justiça de Alagoas e revela o papel do Estado como cúmplice das práticas coronelistas existentes em Alagoas

“As famílias precisam da terra para plantar e viver. Não cederemos às ameaças e resistiremos. É preciso avançar a democratização da terra”, concluiu o representante da CPT.

Nenhum comentário: