sexta-feira, 28 de março de 2014

Carta da 25ª Assembleia da Comissão Pastoral da Terra de Alagoas

“Campesinato: Teimosia e Resistencia”

“Hoje eu estabeleço você sobre as nações e reinos, para arrancar e arrasar, para demolir e destruir, para construir e plantar.” (profeta jeremias 1, 10).


A Teimosia e a Resistência Camponesa é o que nos fez, como representantes de comunidades do sertão, do litoral e da mata sairmos de nossas moradas, dos nossos roçados para vir à 25ª Assembleia Estadual da Comissão Pastoral da Terra de Alagoas.

O modelo econômico e político, consolidado com a aliança poderosa entre o governo federal, eleito pelo povo, dominado pelas corporações conduz o país cada dia a tempos mais e mais difíceis. As transnacionais, os banqueiros, os detentores da mídia e os grandes proprietários de terras controlam a produção de alimentos, os bens naturais e manipulam a sociedade. O Campesinato e a Reforma Agrária estão sendo ignorados, esquecidos e invisibilizados pelo Estado (Executivo, Legislativo e Judiciário).

Apesar dessa realidade, reunidas e reunidos, redescobrimos a nossa força, refletimos sobre a nossa vida camponesa, nossa produção, nossa solidariedade. Entendemos que este jeito de ser é herança das Primeiras Nações da Terra, que viviam em equilíbrio com a natureza; dos Quilombos dos Palmares, que lutaram por liberdade e território; dos Cabanos, que viram nas matas o espaço de reconstrução da vida; das Ligas Camponesas que defenderam a reforma agrária na lei ou na marra e dos militantes do novo tempo que foram torturados e assassinados pela ditadura militar.

Iluminados pelos profetas bíblicos renovamos o nosso compromisso em acabar com o latifúndio, retomar as ocupações de terras, com uma produção saudável e diversificada, honrando o sangue dos mártires

Somos povo que espera, fazemos parte do pequeno resto que acredita, apesar da descrença geral; que ama, em tempos de indiferença generalizada. Com fé revigoramos a missão e mantemos viva a esperança teimosa, resistimos aos que tentam nos sufocar e lutamos para alcançar antigos e novos horizontes.

Resistentes, teimosas e teimosos seguiremos em caminhada, fiéis ao Deus dos pobres e aos pobres da terra.


Barra de São Miguel, 27 de março de 2014.

terça-feira, 25 de março de 2014

Começa a 25ª Assembleia Estadual da CPT/Alagoas

Homenagens, saudações e muita animação marcam a abertura do evento


Antes de raiar o dia, mais de 120 camponeses do Sertão, da região da Mata e do litoral já se deslocavam para participar da 25ª Assembleia Estadual da CPT que teve início hoje (25) pela manhã no Centro Catequético dos Irmãos Marista, Barra de São Miguel.

Com muita mística, cantos e animação, a celebração de abertura envolveu os presentes que enfatizaram, nas canções e nas palavras de ordem, a terra como Dom de Deus e Direito dos homens e das mulheres. Houve leitura bíblica e entrada de jovens carregando os mandamentos da terra.

Carlos Lima, coordenador Regional da CPT, felicitou a disposição e a garra de cada um presente. "Desde pequenos nos chamam de teimosos. Mas para chegar até aqui e mantermos firmes na luta pela reforma agrária tem que ser muito teimoso e resistente, pois os governantes abandonaram a nossa reivindicação e criminalizam nossa luta", afirmou.

Na mesa de abertura, o tema do evento "Campesinato: Teimosia e Resistência" foi lembrado em todas as falas de saudação da Assembleia. Compuseram a mesa, o Padre Rogério, representando as Pastorais Sociais, Tarsis, representando a CUT, Padre Jerônimo, Paróquia de Jacuípe, Josival Olveira, Coordenador do MLST, Lenilda Lima, superintendente do INCRA, Zé Roberto, Coordenador do MST, e Marluce Mello, Assessora da CPT/NE.

Para o Padre Rogério, o papel que a CPT cumpre diante dos camponeses e das injustiças sociais é muito importante. "Esse movimento traz a palavra de esperança e a condição de obter uma vida digna", falou o Padre em sua fala de saudação.

As falas também rechaçaram o golpe militar e lembrou que somos filhos dos lutadores de anos atrás. "Quando os trabalhadores fizeram grande lutas, a burguesia matou muitos companheiros. Mas não tirou o sonho dos camponeses de fazer a reforma agrária no país e é na luta, na marra que vamos conquistá-la", defendeu Zé Roberto.


Homenagens

O momento da abertura é também o das homenagens àqueles que reconhecidamente se dedicaram à luta agrária no último ano. Duas premiações foram entregues: o Certificado Destaque e o Prêmio Dom Helder.

"Queremos em nome da CPT entregar o Certificado Destaque ao acampamento Santa Clara (Messias) que fica às margens da BR 101 e tem sido resistente e se mantém mesmo diante dos ataques dos usineiros e da inércia do INCRA e do Governo Federal", defendeu Carlos Lima.

Bastante contente, o camponês José Herculano afirmou que a luta mudou a sua vida. "Antes não tinha o que comer e hoje a gente tem uma terra para plantar e sobrevive do que planta", depôs o Herculano que vive com toda sua família no acampamento.

O outro homenageado foi o Professor e amigo dos movimentos sociais do campo, Sávio Almeida, que levou para a casa o Prêmio Dom Helder. "Agradeço muito pelo reconhecimento. Para mim, contribuir com a luta camponesa e compartilhar experiências é uma obrigação que tenho para com os movimentos que lutam pela democratização da terra e por justiça social", disse Sávio Almeida.

A Assembleia prossegue, tendo na tarde de hoje a palestra "O Agrário em Alagoas: defesafios, lutas e perspectivas" ministrada pelo Professor Homenageado, e será encerrada na tarde de quinta com mobilização em Maceió.

segunda-feira, 24 de março de 2014

Assembleia Estadual da CPT tem início amanhã, 25

Reunião discute últimos preparativos para a Assembleia

Durante os próximos três dias, mais de 120 camponeses e os agentes Pastorais se reunirão na 25ª Assembleia Estadual da Comissão Pastoral da Terra - CPT/Alagoas. Com o Tema "Campesinato: Teimosia e Resistência", o evento debaterá a luta pela terra, a organização e o planejamento dos camponeses e realizará homenagens aos lutadores de ontem e de hoje.

O primeiro dia será dedicado ao reconhecimento daqueles que contribuíram e contribuem para a luta camponesa. Após a mesa de abertura composta por representantes de movimentos sociais, pastorais da igreja católica e autoridades, será entregue o Certificado de Acampamento Destaque ao acampamento Santa Clara (BR 101, Messias) e o Prêmio Dom Helder ao Professor Sávio Almeida.

"Vamos homenagear o acampamento que mais teve vitórias em 2013, que cresceu e resistiu às pressões da Usina contra os camponeses. Como também, ao Professor Sávio Almeida que tem sido um parceiro do movimento social do campo, contribuindo na formação política e prática da luta agrária", afirmou Carlos Lima, coordenador regional da CPT.

O debate sobre a teimosia e a resistência dos camponeses será iniciado ainda no dia 25, com apresentação a demonstração desses sinais vividos em nossa região, e aprofundado com uma mesa no dia 26 que contará com a presença de Marluce Melo, assessora da CPT Nordeste 2.

Quem está também com a presença confirmada no evento é o Padre Thiago Torbby. Ele realizará a palestra "O profetismo camponês" no dia 26, afirmando o papel Cristão de lutar pelo direito sagrado à terra e à vida. Já no dia 27, pela manhã, haverá celebração no evento.

O encerramento do evento se dará com a aprovação da Carta da Assembleia e uma mobilização em Maceió para cobrar do poder público os diretos a uma vida digna no campo. "Debateremos nossas demandas durante a Assembleia e elaboraremos uma pauta de reivindicação que é fruto do abandono da reforma agrária e da infraestrutura rural", concluiu o coordenador da CPT.

sábado, 22 de março de 2014

CPT realiza sua 25ª Assembleia Estadual

Na programação, balanço da luta pela terra, entrega de Certificado de Acampamento Destaque e concessão do Prêmio Dom Helder ao Professor Sávio Almeida



A Comissão Pastoral da Terra (CPT/AL) realizará entre os dias 25 a 27 de março sua  25ª Assembleia Estadual no Centro Catequético dos Irmãos Marista - Barra de São Miguel. Além dos agentes pastorais, o encontro reunirá 120 camponeses e terá como tema "Campesinato: Teimosia e Resistência".

Na ocasião, os Camponeses, representantes de cerca de 40 assentamentos/acampamento do litoral, sertão e região da mata, debaterão sobre sua organização, a luta pela terra e o planejamento para o próximo período. A abertura, prevista para às 10h, contará com a presença de representantes de Pastorais da Igreja Católica, de Sindicatos e Movimentos Sociais e hará a entrega do Certificado ao Acampamento Destaque e do Prêmio Dom Helder, um justo reconhecimento àqueles que no último ano tiveram notoriedade em sua contribuição à luta pela terra.

Realizado às vésperas dos 50 anos do Golpe Militar no Brasil, a Assembleia também realizará homenagens aos mártires da luta pela terra. "A Ditadura Militar assassinou centenas de lutadores do campo no momento que mais se acumulou força na luta pela Reforma Agrária. Hoje, o nosso país continua injusto em sua estrutura fundiária e assassinando os que teimosamente continuam a lutar pela terra", afirmou Carlos Lima, Coordenador Regional da CPT.

O evento será encerrado na sexta, 27 de março, com a aprovação da Carta da 25ª Assembleia Estadual e realização de mobilização em Maceió.

Acampamento Destaque

Todos os anos, os camponeses em luta pela terra recebem durante a realização da Assembleia o reconhecimento da CPT e de seus companheiros, através do Certificado Organização e do Certificado Resistência. Em 2014, o acampamento Santa Clara (BR-101, Messias) receberá os dois, sob a nova nomenclatura de Certificado Destaque, por sua combatividade no último período. "É um acampamento que cresce todo dia, produz bastante, enfrenta e é vitorioso numa constante luta contra a Usina Santa Clotilde", enfatiza o coordenador da CPT.

Prêmio Dom Helder

Criado em 2002 para homenagear  personalidades que se destacaram em defesa da luta no campo, o Prêmio Dom Helder já se consolidou como a principal homenagem do campesinato em Alagoas.  Este ano, o professor, lutador e companheiro da CPT, Sávio Almeida, levará o Prêmio devido a relevância de sua atuação na colaboração política, prática e intelectual.

"Tem algum tempo que Sávio tem se dedicado a ajudar os movimentos socais do campo. Em 2012, produziu artigos sobre a luta na terra e assessorou encontros da juventude e de militantes do campo. Já 2013, foi o entusiasta e organizou, junto a mim e ao Val (MLST), o livro "Terra em Alagoas: Temas e Problemas", uma importante contribuição intelectual ao movimento agrário", ressaltou Carlos Lima.