quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Movimentos Sociais afirmam no Caiité: Reforma Agrária é a saída para Alagoas

            
            Em um debate realizado na manhã da última segunda-feira, 18 de agosto, movimentos sociais do campo e a comunidade acadêmica puseram em pauta a situação de Alagoas e a luta por Reforma Agrária. A mesa redonda “Sem-Terra em Alagoas: Temas e Problemas” fez parte da programação do Congresso Acadêmico Integrado de Inovação e Tecnologia.
                A Comissão Pastoral da Terra e o Movimento Liberação dos Sem Terra utilizaram o espaço para denunciar que a questão da terra, apesar de parecer antiga, é bastante atual. As elites colocam como assunto ultrapassado, entretanto as margens das BR´s em todo o Brasil revelam, como um grito de resistência, que o problema continua.
Durante todo o debate, dezenas de vozes entoaram a música “Ordem e Progresso”, do compositor Zé do Pinto, que, em canção, defende a luta como forma de mudar a nação: “É por amor essa pátria Brasil, a gente segue em fileira”.
Josival Oliveira, coordenador do MLST, foi o primeiro a falar. Ao analisar a conjuntura não titubeou em afirmar que “economia não é feita para os trabalhadores, é feita para o agronegócio e para as elites”. Com uma economia dependente do agronegócio, Alagoas passa por uma grande crise que os movimentos sociais enxergam nela perspectivas para a sua transformação.
 “Só o grupo João Lira tem 50 mil hectares de terra. Os usineiros já não moem, as terras estão abandonadas, é uma chance histórica para a Reforma Agrária. Não podemos perder área para os eucaliptos. Os governos não têm interesse e não fazem a Reforma Agrária, que tem que fazer são os movimentos sociais e a sociedade”, afirmou Carlos Lima, coordenador da CPT.

O professor Sávio de Almeida encerrou o debate afirmando a necessidade de reterritorializar Alagoas com a Reforma Agrária para salvar o Estado. “Há uma falência dos grupos tradicionais. Isso afeta a mão de obra, com uma grande saída dos trabalhadores do campo e um inchaço em Maceió. Ao mesmo tempo, temos uma quantidade de terras imensas sem utilidade, só 37 usinas esse ano vão moer. É a oportunidade para fortalecer a luta”.

Confira aqui a  galeria de imagens do evento.

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Sem-Terra em Alagoas será tema de debates no Caiité

                
O Congresso Acadêmico Integrado de Inovação e Tecnologia de 2014 – Caiité – receberá já no seu primeiro dia, 18 de agosto, os movimentos sociais do campo para compor a mesa redonda “Sem-terra em Alagoas: temas e problemas”.

Carlos Lima (Comissão Pastoral da Terra), Josival Oliveira (Movimento de Libertação dos Sem Terra) e o professor Sávio de Almeida retratarão um pouco dos conflitos rurais e a luta pela reforma agrária em Alagoas. O debate será realizado das 9 às 11 horas na Sala Máquina A Vapor, do Centro de Convenções Ruth Cardoso.

“Esperamos que se repita o sucesso de público que tivemos da última vez que estivemos no Centro de Convenções, durante a Bienal. Nessa conjuntura acirrada em que vivemos, é preciso, cada vez mais, demonstrar a justeza da luta pela democratização da terra tanto no ambiente acadêmico quanto na luta prática do dia-a-dia”, afirmou Carlos Lima convidando toda a população para prestigiar o evento.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Feira Camponesa comercializa 12 toneladas em mais edição itinerante



                O conjunto Salvador Lyra se despediu no último sábado, 9 de agosto, da Feira Camponesa Itinerante. Foram 3 dias de muita movimentação e comercialização de alimentos no pátio da Igreja São Paulo Apóstolo.

                Heloísa Amaral, coordenadora da CPT responsável pela organização do evento, agradeceu a contribuição de todos e creditou à coletividade o sucesso de mais uma feira. “Todos foram importantes: a comunidade que nos acolheu muito bem, os camponeses e as camponesas que trabalham, produzem esse alimento bonito e participam da feira, a arquidioceses que cedeu o espaço, a imprensa que cobriu todo o evento, os agentes pastorais, o ITERAL. Enfim, estamos todos de parabéns”, disse Amaral.

                Em quantidade, o alimento mais comercializado foi a banana, devido a sua época de colheita. Outro grande destaque foi a casa de farinha. “O Beiju e a farinha quentinha, assada na hora, saíram muito bem”, afirmou a agrônoma ao final da Feira. Heloísa somou todos os produtos vendidos e confirmou: “foram 12 toneladas nesta edição”.

                Até o final do ano, a CPT pretende realizar ainda outras Feiras Itinerantes e a 21ª Feira Camponesa, na praça da Faculdade.


]

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Feira Camponesa Itinerante tem início no Salvador Lyra


De hoje até sábado, 9 de agosto, Camponeses organizados pela Pastoral da Terra estarão comercializando alimentos saudáveis e com sabor de justiça social no Conjunto Salvador Lyra. A Feira Camponesa Itinerante está situada na Igreja São Paulo Apóstolo.
Com o apoio da Paróquia, já nas primeiras horas do dia, o pátio da Igreja se transformou numa grande e bonita Feira para acolher os camponeses vindos de diversas cidades do interior e os moradores da região que quiserem adquirir os frutos da Reforma Agrária.
“A Feira Camponesa conta com uma produção bem diversificada e com preços atraentes. Esperamos que a população atenda o chamado da CPT, que desde o começo da semana colocou um carro de som circulando o bairro e convidando para o nosso evento”, afirmou Heloísa Amaral, coordenadora da CPT, ao comemorar o sucesso de público e de vendas a poucas horas de seu início.

Casa de Farinha, galinha, tapioca, beiju, banana, mamão, abóbora, laranja são alguns dos atrativos da Feira que funciona das 6 da manhã até às 22 horas, exceto no último dia, o sábado, que deve encerrar por volta das 12h.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

CPT levará Feira ao Salvador Lyra


A Feira Camponesa está chegando à parte alta da cidade. Após 3 edições itinerantes e uma grande Feira na praça da Faculdade, chegou a vez do Conjunto Salvador Lyra sediar o evento, de 7 a 9 de agosto.

Localizada no Pátio da Igreja São Paulo Apóstolo, a Feira contará com mais de 30 famílias camponesas que comercializarão alimentos saudáveis e sem agrotóxicos, frutos da Reforma Agrária.

“É o feijão, a macaxeira, a banana, o mamão, o mel, a galinha, a abóbora, entre outros produtos da luta camponesa cultivados de maneira agroecológica e com sabor de justiça social”, afirmou a agrônoma Heloísa Amaral, coordenadora da CPT.

Também será montado no local uma casa de farinha, produzindo na hora, direto para o consumidor. A Comissão Pastoral da Terra conta com o apoio da Paróquia São Paulo Apóstolo para a realização do evento e garante preços abaixo do de mercado.

“Nas feiras há uma comercialização direta, sem atravessadores, o que barateia o preço dos alimentos e garante a satisfação tanto do trabalhador rural como também dos da cidade”, concluiu Amaral convidando a todos para prestigiar a Feira Itinerante.

Serviço:
Feira Camponesa Itinerante
Dias: 7, 8 e 9 de Agosto de 2014
Horário: 6h às 22h

Local: Pátio da Igreja São Paulo Apóstolo – Salvador Lyra