terça-feira, 2 de setembro de 2014

Camponeses apreendem máquinas do DER para denunciar descaso com a construção de estrada

Mesmo com recursos liberados, Governo não conclui obra que beneficia assentamentos

Máquina do DER apreendida em 2010
Desde 2009, os camponeses do litoral norte de Alagoas lutam pela construção de uma estrada com aproximadamente 30 km que liga os municípios de São Miguel dos Milagres e Matriz do Camaragibe. Após 5 anos de descaso e enrolação, camponeses ligados à Comissão Pastoral da Terra apreenderam máquinas do Departamento de Estradas e Rodagem (DER) que trabalhavam na região.

“Disseram aos agricultores que as máquinas seriam recolhidas pela empresa pois a estrada já estava concluída”, afirmou Carlos Lima, coordenador regional da CPT, ao explicar o motivo da revolta dos moradores da região que chegaram a ameaçar atear fogo nas máquinas.

A insatisfação dos agricultores é maior pois eles sabem da existência de um convênio firmado entre o INCRA e o DRE, em junho de 2009, com um valor de R$ 410 mil para a recuperação de estradas e construção de pontes, beneficiando os assentamentos Jubileu 2000, Ir. Dorothy Stang e Quilombo dos Palmares.

“Eles nunca construíram essas vias. A realidade é que no período chuvoso famílias ficam completamente ilhadas, sem ter acesso aos postos de saúde e às escolas. Já foram várias mobilizações, ocupando o DER, a Prefeitura de São Miguel e fechando vias, além de diversas reuniões com o Governo do Estado e até agora nada”, denunciou o coordenador da CPT.

Os agricultores, que aguardavam a visita de um técnico do DER, flagraram funcionários da empreiteira utilizando areia e pedra ao invés de piçarra (cascalho) para asfaltar a pista. Para os assentados, há uma discriminação quando as obras são para sem-terras. 

“Em 2010 fizemos outro protesto pois eles só fizeram trechos da estrada que beneficiam os fazendeiros, para nós continua os buracos e o improviso”, afirmou José Feliciano, o “Saúba”, integrante da CPT e morador do assentamento Quilombo dos Palmares.

A CPT cobra do Governo de Alagoas, do DER e do INCRA providências acerca da construção dessa estrada. “Queremos que a promessa do Governador Teotônio Vilela e do ex-superintentende do INCRA, Gilberto Coutinho, venha a ser cumprida. Até porque o dinheiro liberado ser utilizado para servir ao povo”, concluiu Carlos Lima.

Conheça aqui o quadro resumo dessa obra:
- 30 de maio de 2009, durante a inauguração da casa de farinha no assentamento Jubileu 2000, localizado no município de São Miguel dos Milagres, o superintendente do Incra-AL, Gilberto Coutinho se comprometeu em seu discurso um maior empenho na recuperação das estradas que ligam os assentamentos até as cidades. Na ocasião uma comitiva Secretário de Estado e assessores ficaram ilhados, impedidos de chegar ao local do evento, só sendo possível a presença de Vilela que chegou através de um helicóptero;
- Em junho de 2009, a CPT ocupou a prefeitura de São Miguel. No mesmo mês foi firmado um convênio entre o INCRA e o DRE para a recuperação de estradas e construção de pontes, um valor total de R$ 410 mil;
- Em março de 2010, devido às chuvas e as más condições climáticas, os trabalhadores ocuparam a Prefeitura de São Miguel para garantir a execução da obra;
- Em Novembro de 2010, 4 meses após o início das obras, estradas para os fazendeiros foram entregues e nenhum trajeto para os assentamentos foi realizado. Camponeses bloquearam a pista e apreenderam máquinas em protesto;
- Maio de 2012. Trabalhadores ocupam a sede do DER em Matriz do Camaragibe cobrando a construção da estrada.

Nenhum comentário: