domingo, 15 de março de 2015

Carta da 26ª Assembleia Estadual da CPT


Mata o próximo quem lhe tira seus meios de vida, e derrama sangue quem priva o operário do seu salário. (Eclesiástico 34, 21)

Juntos, reunidos e reunidas na 26ª Assembleia Estadual da CPT de Alagoas, choramos a dor e aflição das 23 famílias despejadas das terras da fazenda Lagoa da Jurema, em Belo Monte, sertão alagoano. Alegramo-nos com a Boa Nova de Jesus, com Seus ensinamentos e o Seu carinho para com os mais pobres.  

Lemos a conjuntura a partir da injustiça cometida pelo Governo de Alagoas, contra as famílias Sem Terra de Belo Monte. Identificamos que o capitalismo mantém um esquema que em nome da propriedade privada e do desenvolvimento expulsa famílias pobres, destrói alimentos e derruba casas. Os poderes são instrumentos desse modelo, o Legislativo é conivente, o Judiciário é obediente e o Executivo é subserviente. Belo Monte é, na verdade, o cotidiano do universo camponês brasileiro. Estamos correndo sérios riscos.  Querem nos destruir! 

A partir da leitura bíblica, aprofundamos a realidade e percebemos como a nossa historia é continuidade da luta do povo da bíblia.  Como é confortante enxergar a intervenção de Deus na historia ao lado dos pobres e oprimidos. A opressão, a fome, a miséria não são criação nem vontade de Deus!

Nas palavras do papa Francisco − nenhuma família sem casa, nenhum camponês sem terra e nenhum trabalhador sem direitos −, reencontramos um horizonte para retomar o trabalho de base, a formação e a luta concreta.

É necessário reagir, enfrentar o inimigo. Retomar as ocupações e as reocupações; produzir alimentos sem uso de veneno, dentro do modelo agroecológico; praticar a partilha e a solidariedade camponesa.

Acampamento Batista - Paripueira-AL,  9 e 10 de março de 2015.


Confira as fotos da Celebração.














Nenhum comentário: