sexta-feira, 27 de novembro de 2015

“Morrerei feliz de estar na luta com os trabalhadores”

Na tarde desta quinta-feira, 27 de novembro, morreu um lutador incansável das causas do povo. José Feliciano da Silva, o Saúba, veio à óbito por insuficiência cardíaca. Saúba sofria com a doença de chagas há cerca de um ano e, desde outubro, estava internado entre o HGE e o Hospital Nossa Senhora de Fátima. Seu enterro será amanhã, às 19 horas, no Cemitério Municipal de Messias.

Saúba tinha 59 anos e marcou de forma expressiva a história da Comissão Pastoral da Terra em Alagoas. Desde 2002, quando conheceu a CPT, ajudou na organização dos camponeses e camponesas, apoiou a ocupação de diversas áreas e era bastante querido por todos que o conheciam.

Trabalhou na cana-de-açúcar dos 9 aos 52 anos e encontrou o caminho da liberdade no dia 7 de janeiro de 2002, quando entrou no acampamento Bota Velha. Sem conjugue e filhos, Saúba dizia ter o acampamento como sua morada e os acampados como sua família.

Em 2014, sua história e de outros camponeses e camponesas foi publicada no livro Terra e Pastoral em Alagoas: conflito e liberdade. Saúba tinha ciência que a doença ou até mesmo os latifundiários poderiam tirar sua vida, mesmo assim se sentia feliz de estar na luta dos trabalhadores até seu último momento.

“Eu trabalhei em usina, no corte de cana, e sei do sofrimento que é depender dos usineiros para viver. Estou livre dessa escravidão e posso morrer, mas morrerei feliz de estar na luta com os trabalhadores”, disse José Feliciano durante debate sobre terra em Alagoas na Feira do MLST, em 2014.

Mesmo tendo seu pedaço de terra no Assentamento Quilombo dos Palmares, em São Miguel dos Milagres, seu corpo será enterrado na cidade em que conheceu a Pastoral da Terra e a luta por justiça social.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Romaria da Terra convida população para caminhar por vida digna no campo



A Romaria da Terra e das Água de 2015 acontece nos dias 28 e 29 de novembro em Branquinha, zona da mata alagoana. Sua 28ª edição traz o tema Dignidade, Vida, Partilha e Paz e convida a população para combater a miséria e a violência no campo, gerada pelo latifúndio e o monopólio da cana-de-açúcar.

Sob o lema Da dependência da cana à liberdade humana, os romeiros e as romeiras, vindos de todas as regiões de Alagoas, se reunirão a partir das 20 horas do dia 28, no terceiro platô, área de casas populares construídas para as vítimas das enchentes de 2010. Lá assistirão apresentações culturais e os documentários Tabuleiro de Cana Xadrez de Cativeiro e Maldita sejam todas as cercas. À meia-noite, será celebrada a Santa Missa e, logo após a celebração, o povo segue em romaria até o assentamento Zumbi dos Palmares, um percurso de 8 km.

Organizada pela Comissão Pastoral da Terra – CPT/Alagoas, Arquidiocese de Maceió e Paróquia de São Sebastião, a Romaria prevê quatro paradas com reflexões sobre cada palavra que compõe o tema. Tendo a Comunidade Nossa Senhora de Fátima conduzindo a reflexão sobre Dignidade, a Juventude da paroquia sobre Vida, os membros da Pastoral da Terra sobre Partilha e os assentados de Zumbi dos Palmares, Lucilene e Jacó, sobre Paz.

“Iremos relembrar a luta do povo Hebreu, liderados por Moisés em busca da terra prometida, de liberdade. Queremos convidar a toda população para caminhar em Romaria em defesa de justiça social”, afirmou Carlos Lima, coordenador regional da CPT, convidando para a Romaria.

Serviço
28ª Romaria da Terra e das Águas
Dias 28 e 29 de novembro de 2015
Local: Branquinha/Alagoas
Horário: a partir das 20 horas

Programação
20h – Documentário: Tabuleiro de Cana Xadrez de Cativeiro
20h30min – Banda de Fanfarra de Branquinha
21h30min – Pastoril 
22h – Poesia de Cordel (Lucilene)
22h30min - Capoeira
23h – Documentário: Maldita sejam todas as cercas
00h – Celebração da Santa Missa
Paradas:
1ª – Dignidade: Comunidade Nossa Senhora de Fátima (Platô)
2ª – Vida: Juventude (Matriz)
3ª – Partilha: Pastoral da Terra (Assentamento Eldorado dos Carajás)
4ª – Paz: Lucilene e Jacó (Assentamento Zumbi dos Palmares – onde foi assassinado Sebastião Agrício)

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Agentes Pastorais estudam carta do Papa Francisco

Estudo da Encíclica LAUDATO SI' foi coordenado pelo padre Hermínio Canova




O padre Hermínio Canova, assessor da CPT Nordeste 2, esteve em Alagoas nesta terça-feira, 17, com a missão de orientar os agentes da Pastoral da Terra de Alagoas no estudo da encíclica LAUDATO SI' (louvado seja, em português). O documento do Papa Francisco convida a refletir sobre o meio ambiente e a pensar nos males provocados contra a mãe Terra.

Ao explicar o sumo Pontífice sobre a nossa “casa comum”, o padre Hermínio afirmou que não se trata de uma encíclica verde, uma preocupação com o meio ambiente, mas uma visão de cuidado com o planeta. “O papa não apresenta crises humana e ecológica dissociadas, enfatiza uma única crise socioambiental, responsabilizando o sistema consumista. Ele alerta para necessidade de diminuir a marcha do crescimento”, disse Canova.


O centro da encíclica é o pobre, as populações vulneráveis. Essa preocupação fica clara no capitulo I, número 48: De fato, a deterioração do meio ambiente e a da sociedade afetam de modo especial os mais frágeis do planeta: “Tanto a experiência comum da vida cotidiana como a investigação cientifica demonstram que os efeitos mais graves de todas as agressões ambientais recaem sobre as pessoas mais pobres".

A Pastora da Terra de Alagoas vai ampliar o estudo desse documento papal na assembleia da CPT/Alagoas, que deve acontecer no primeiro trimestre de 2016. “O Papa Francisco tem uma grande sensibilidade para guiar a humanidade para um futuro de paz e prosperidade. Por isso, achamos fundamental que toda a sociedade tenha ciência dessa encíclica. Vamos reproduzir esse estudo junto aos camponeses e às camponesas na nossa próxima assembleia estadual”, afirmou Carlos Lima, coordenador da regional da CPT.



Associação Italiana realiza almoço solidário à luta da CPT

Pachamama Onlus contribui com a luta por reforma agrária em Alagoas desde 2009




A associação Pachamama (terra mãe) realizou no dia 15 de novembro, na Paróquia de San Caetano, em Torino – Itália, um almoço solidário ítalo-brasileiro. Essa foi a 12ª edição do evento que reuniu quase 100 pessoas e arrecadou mais de $2500 Euros para apoiar projetos da instituição junto à Comissão Pastoral da Terra em Alagoas.

No almoço, os italianos provaram um cardápio recheado da culinária brasileira, como a mandioca frita, a feijoada, o escondidinho de carne e a caipirinha, e conheceram um pouco mais da luta pela terra em Alagoas.

Além do almoço, outros produtos como camisas e mochilas de Pachamama, chocolates, panetones, geleias de frutas e mel foram vendidos com o intuito de arrecadar fundos para projetos que visam melhorar a vida nos assentamentos e acampamentos acompanhados pela CPT. No final houve ainda um leilão de 14 bolos feitos pelos voluntários da associação.


Nascida em 2009, a associação Pachamama desenvolve, entre outros projetos, o “Semeadores de Saúde” que dissemina cuidados de saúde entre os camponeses e camponesas. Na semana anterior à realização do evento, diversos kits com pasta e escova de dentes chegaram aos assentamentos e acampamentos acompanhados pela Pastoral da Terra.

Emanuele Daglio, presidente da Pachamama, agradeceu a participação de todos que ajudaram e ajudam à Pachamama a juntar recursos para continuar as atividades no Brasil. 










quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Feira Camponesa leva alimentos saudáveis ao Santo Eduardo



Os camponeses e as camponesas, organizados pela Comissão Pastoral da Terra, estão comercializando alimentos saudáveis na Praça Dênis Agra, no Conjunto Santo Eduardo - Poço. A Feira Camponesa Itinerante chegou na manhã desta quinta-feira, 12, e permanece até o meio-dia do sábado, 14.

Mamão, inhame, macaxeira, feijão, banana, mel, galinha, tomate, graviola, carneiro são alguns dos produtos trazidos pelos agricultores dos assentamentos da Reforma Agrária do litoral ao sertão. Além de alimentos sem agrotóxicos, a casa de farinha é outra atração presente na Feira.

“Temos uma grande diversidade de alimentos cultivados de forma agroecológica em assentamentos de Água Branca à Maragogi e a casa de farinha assando o beiju e a farinha de mandioca na hora”, afirmou a agrônoma Heloísa Amaral, coordenadora da Comissão Pastoral da Terra.

Heloísa destacou ainda que essa é a última oportunidade para a população da parte baixa da cidade adquirir os frutos da Reforma Agrária. “Essa é a nossa penúltima Feira itinerante. A última edição será realizada em dezembro no Cleto Marques. Por isso, queremos convidar a todos os moradores do Santo Eduardo e da redondeza para aproveitar essa feira, estamos esperando vocês”, concluiu a coordenadora da CPT.

Serviço
Feira Camponesa Itinerante
Local: Santo Eduardo - Praça Jornalista Dênis Agra
Dia: 12 a 14 de novembro de 2015
Horário: 6h às 20 horas




terça-feira, 10 de novembro de 2015

Feira Camponesa retorna ao Conjunto Santo Eduardo


A Feira Camponesa itinerante estará entre os dias 12 a 14 de novembro no Conjunto Santo Eduardo, bairro do Poço. Essa será mais uma oportunidade para a população da região adquirir alimentos saudáveis bem perto de sua casa.

Contando com 30 feirantes e uma casa de farinha na Praça Dênis Agra, a Feira destaca a importância da alimentação sem agrotóxicos. “Cada brasileiro consome, em média, 7,3 litros de veneno por ano. Isso gera vários problemas para a saúde. Por isso, somos contra este modelo de agricultura e em nossa feira só vendemos produtos agroecológicos”, afirmou a agrônoma Heloísa Amaral, coordenadora da CPT.

Os alimentos comercializados são frutos da luta por Reforma Agrária em Alagoas e representa, para os camponeses e camponesas, trabalho e renda. Para a população a maior vantagem é comprar direto do produtor com preço justo.

“Na Feira ganha todo mundo, quem compra e quem vende. Em um supermercado não sabemos de onde o alimento vem. Aqui, além de ter a garantia da procedência do produto ainda é possivel fazer a ‘pechincha’”, completou Heloísa.

A Feira Camponesa é organizada pela Comissão Pastoral da Terra – CPT – e, nesta edição, conta com o apoio da Paróquia Nosso Senhor do Bonfim e do Iteral.

Serviço
Feira Camponesa Itinerante
Onde? Santo Eduardo - Praça Jornalista Dênis Agra
Quando? 12 a 14 de novembro de 2015
Horário? 6h às 20 horas