quarta-feira, 29 de março de 2017

Camponeses mantém ocupação no Incra

Negociações serão retomadas nesta quinta-feira (30), às 14h




Os camponeses e camponesas que ocupam o prédio do Incra contra o golpe na Reforma Agrária decidiram permanecer no local, mesmo após o primeiro contato com o novo superintendente do órgão, César Lira. As cerca de 500 pessoas passarão a noite no prédio de 13 andares localizado no Centro de Maceió e retomarão as negociações às 14h desta quinta-feira, 30 de março.

A gente veio para ser atendido e se não for atendido não vamos desocupar. Estamos cansado de vir à Maceió e ser enrolado. Se for preciso podemos trazer 100 kg de macaxeira para ficar e resistir. Só vamos sair com tudo resolvido, para a gente poder levar felicidade para nosso povo”, afirmou o acampado José Maria Azarias.

Seu Azarias há 15 anos luta por Reforma Agrária

A reivindicação de “seu Azarias” no INCRA é a Reforma Agrária. Além de sua família, outras 101 lutam há 15 anos pela posse da terra onde moram, no acampamento Bota-velha, em Murici. No mesmo município há acampamento com 17 anos de espera.

A ocupação do prédio do INCRA aconteceu por volta das 16h e antes do anoitecer o superintendente do órgão, César Lira (PSD), empossado na manhã desta quarta-feira (29), foi ao encontro dos camponeses e camponesas. Já em seu primeiro dia de trabalho como chefe do órgão que deveria servir para fazer a Reforma Agrária, o sobrinho de Benedito de Lira foi recepcionado com muitas palavras de ordem e pressão de homens e mulheres que lutam por melhores condições de vida no campo.

Aqui já vivemos com superintendentes de direita, de esquerda, e voltamos a viver com superintendente de direita. O tratamento é o mesmo, é um completo descompromisso com o povo pobre do campo. Estamos aqui porque o povo está cansado. Nós temos áreas de 17 anos esperando a reforma agrária, problemas com água, estrada. Uma tolisse que é desbloquear uma DAP o Incra não faz”, afirmou Carlos Lima, coordenador da Comissão Pastoral da Terra.

O novo superintendente do INCRA se colocou para discutir cada problema apresentado. Informou, desde já, que ainda está tomando pé da situação do órgão, que iria conversar com o antigo superintendente e com os servidores da casa e que não poderia se comprometer com as antigas promessas feitas por gestores passados.


César Lira se desresponsabilizou pelas gestões anteriores do INCRA

O que aconteceu, aconteceu. Vocês podem me cobrar daqui para frente. Minha vida é limpa e não respondo um processo. Não vai ser no Incra que vou sujar meu nome. Temos um quadro escasso, com técnicos para se aposentar, com dificuldades financeiras. Vou passar uma chuva aqui e espero tirar bons frutos dela”, disse César Lira em meio à manifestação, dentro de seu gabinete.

Uma reunião de trabalho para elencar os problemas de cada área rural e se comprometer com soluções ficou agendada para às 14h desta quinta-feira, 30 de março.




Nenhum comentário: